Como melhorar a sua Osteoartrose de maneira natural

Compartilhe um hobby ou aula

Passe algum tempo com seus filhos ou netos e divirta-se enquanto se move. Mesmo com artrite, você pode desfrutar de exercícios de baixo impacto necessários para manter as articulações flexíveis e os músculos fortes. Experimente fazer uma aula juntos ou compartilhar um hobby ativo, como natação, golfe, dança ou jardinagem.

Treine para uma corrida divertida ou 5 km

Participe de uma corrida, caminhada ou 5 km divertida local com as crianças. Converse com seu médico para se certificar de que correr ou caminhar é adequado para você. Em seguida, descubra a melhor maneira de começar com base em sua flexibilidade, força e habilidade.

Experimente jogos de mesa

A dor de osteoartrose do joelho pode impedir que você se espalhe no chão para jogar jogos tradicionais como quebra-cabeças, xadrez e dominó.

Em vez disso, leve-os para uma mesa para que você possa se sentar confortavelmente. Ou apresente às crianças jogos ativos, como tênis de mesa, pebolim ou bilhar, que permitem que você se mova para ajudar a evitar a rigidez.

Cozinhando com as crianças

Cada quilo de excesso de peso que você perde tira dois quilos de pressão de seus joelhos. Portanto, um peso saudável pode significar menos dor de artrite - principalmente quando você tem osteoartrite no joelho.

Embora nenhuma dieta impeça a artrite ou diminua sua progressão, uma dieta balanceada é vital para o controle do peso. Cozinhe com as crianças e prepare muffins, caçarolas ou pães saudáveis.

Artes e Ofícios

Ponha pequenos músculos em movimento sendo astuto. Há tantas coisas que você pode fazer - de modelos, mosaicos e álbuns de recortes a joias, velas e roupas de decoração. Se a artrite em suas mãos o impede de fazer muitos cortes ou pinturas, deixe as crianças fazerem os detalhes enquanto você faz as tarefas maiores ou supervisiona o projeto.

Sair

O alongamento e o fortalecimento são vitais se você tem artrite, então encontre uma maneira de fazer alguma atividade enquanto estiver ao ar livre. Pegue as crianças e chute as folhas caídas enquanto sai para soltar pipas.

Jogue a bola para frente e para trás, mas compre vários tamanhos, para se adequar ao seu aperto. Ou projete uma pista de obstáculos que incentive a flexibilidade e a diversão. Apenas certifique-se de ouvir o seu corpo, para não exagerar.

Divirta-se com alta tecnologia

Faça um exercício aeróbico fácil enquanto caminha por parques e trilhas com geocaching, uma caça ao tesouro ao ar livre que usa GPS para encontrar objetos escondidos dentro de contêineres.

Ou divirta-se em ambientes fechados com videogames ativos que o fazem se mexer e levantar do sofá. Como em todos os exercícios, evite movimentos específicos que pressionem demais as articulações.

Limpar

Obtenha uma casa e um jardim impecáveis com o benefício de alongamentos suaves e exercícios de amplitude de movimento. Se seus filhos ou netos são pequenos, mantenha vassouras, esfregões e ancinhos minúsculos à mão e, em seguida, obtenha "ajuda" nas tarefas domésticas.

Lembre-se de fazer intervalos de alongamento com frequência e movimentos alternados para não forçar as articulações. Escolha ferramentas ergonômicas para uma pegada mais fácil.

Caça ao tesouro

Esconda brinquedos e bugigangas pelo quintal ou parque (alongue-se suavemente quando chegar para colocar os itens) e junte-se às crianças em uma caça ao tesouro. Ou compre alguns pares de binóculos ou lentes de aumento de baixo custo, pegue um guia da natureza e faça exercícios aeróbicos enquanto procura pássaros, borboletas, insetos ou flores silvestres.

Cultive um jardim

As crianças adoram cavar na terra, então comece um jardim em contêiner ou um par de canteiros elevados e veja quem pode cultivar as flores mais brilhantes ou os tomates maiores. Certifique-se de ter um ótimo equipamento, incluindo almofadas para ajoelhar e ferramentas ergonômicas com cabos mais grossos ou cabos mais longos.

Passear o cão

Pegue as crianças e o cachorro e comece a andar. Você não apenas fará seus músculos se moverem, mas um passeio pode ajudar a aliviar os sintomas da artrite para você e seu animal de estimação. Pesquisas mostram que caminhar pode aliviar a dor, melhorar a função e aumentar a qualidade de vida de pessoas com osteoartrite. Para um treino mais forte, inscreva todos em aulas de treinamento de agilidade canina.

Descubra sua própria diversão

O que quer que você faça com seus filhos ou netos, o objetivo é permanecer ativo. Quando você tem artrite, as articulações costumam doer - por isso é tentador parar de usá-las.

Mas então os músculos ficam fracos, as articulações têm mais problemas para funcionar e a dor pode aumentar. Portanto, seja nadando, caminhando ou apenas passando o tempo no playground, é importante continuar se movendo.

Uma alimentação saudável e dieta para emagrecer beneficia a sua saúde e retira a sua dor enquanto lhe ajuda a perder peso.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Motivos do seu corpo doer por inteiro

Por que meu corpo inteiro dói?

Um corpo dolorido torna todas as atividades mais difíceis, desde superar sua rotina diária até ir dormir à noite. Às vezes, nossos corpos doem de trabalho duro ou exercício, mas outras vezes as causas das dores musculares podem ser mais complexas e associadas a outros sintomas.

Se você ou alguém que você conhece está sofrendo de dores no corpo, este guia pode ajudá-lo a entender alguns dos problemas subjacentes que podem estar causando isso. De artrite a fibromialgia a gripe comum, existem muitas causas subjacentes de dores no corpo, então continue lendo para saber quais são, bem como algumas dicas para aliviar dores no corpo inteiro.

Gripe

A gripe, também conhecida simplesmente como gripe, é uma infecção viral. Ele infecta os pulmões, nariz e garganta e produz vários sintomas familiares. Uma delas são as dores no corpo.

Por que a gripe causa dor?

Quando você está com todo o corpo dolorido e está gripado, há um motivo. Seu corpo dói porque está liberando produtos químicos para ajudar a combater a infecção. Um dos produtos químicos produzidos por seu sistema imunológico é chamado de prostaglandina (PG). PG ajuda o corpo a combater a infecção, mas também causa dores no corpo. Ele também pode causar outros sintomas, como febre.

A aspirina e outros analgésicos não esteróides, como o ibuprofeno, podem aliviar dores no corpo e febre quando você está gripado, pois interferem na produção de PG. A enzima que produz PG se assemelha a um cristal com um tubo no meio. A aspirina e o ibuprofeno obstruem o tubo, interrompendo a produção de PG.

Problemas de tireóide

Se você sofre de hipotireoidismo, as dores no corpo podem ser os primeiros sintomas. O hipotireoidismo é o distúrbio que ocorre quando o corpo de uma pessoa não está produzindo hormônio tireoidiano suficiente. Isso pode ter vários sintomas, e entre eles estão cãibras musculares, dores, rigidez nas articulações e dores no corpo. Às vezes, a dor é vaga e inespecífica.

O hipotireoidismo bioquímico é relativamente comum nos Estados Unidos, afetando cerca de 4,6% da população. A boa notícia é que esse problema de tireoide pode ser tratado com medicamentos controlados, que podem restaurar o nível de hormônio ao normal e ajudar a aliviar a fadiga e as dores. Esses medicamentos devem ser tomados ao longo da vida e podem prevenir consequências perigosas da doença, que no lado extremo podem incluir coma e morte.

Circulação pobre

Se você notar que suas pernas doem depois de uma caminhada, pode ser um problema de circulação. A claudicação (normalmente, obstrução de uma artéria) causa queimação, cãibras ou dor em uma ou ambas as pernas, que é aliviada após o repouso. É causada pela aterosclerose, uma condição que estreita e endurece as artérias por meio do acúmulo de placas.

Pessoas diagnosticadas com essa condição podem receber medicamentos ou recomendar que andem com mais frequência, parem de fumar e reduzam as gorduras saturadas de suas dietas. Também existem tratamentos minimamente invasivos, incluindo angioplastia, stents e muito mais. Os tratamentos cirúrgicos podem ser necessários se os sintomas forem graves.

Uma boa alimentação unida a uma dieta para emagrecer saudável podem lhe ajudar a diminuir suas dores crônicas.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

O que é Gota e quais são as complicações da doença

 

O que é gota?

A gota é uma das doenças médicas mais citadas na história da humanidade. A gota é o resultado de uma anormalidade na capacidade do corpo de processar o ácido úrico.

O ácido úrico se acumula devido à ingestão excessiva de ácido úrico (de alimentos ricos como chocolate, frutos do mar ou vinho tinto) ou devido à incapacidade do corpo de processá-lo.

O ácido úrico então se cristaliza nas articulações - principalmente nos dedos dos pés, tornozelos, mãos e pulsos - causando a inflamação dolorosa de um ataque gotoso (artrite gotosa). Em casos graves, o aumento do ácido úrico pode causar cálculos renais e bloqueios do sistema de filtração renal (túbulos) e danos permanentes aos rins ou mesmo insuficiência renal.

Ter uma dieta para emagrecer e acabar com a gota é mais do que necessário!

Quem é afetado pela gota?

A gota é mais comum em homens do que em mulheres. Também é mais comum na vida adulta, com a maioria dos pacientes tendo ataques após os 50 anos. Se seus pais tiverem gota, você também terá um risco maior de ter gota.

Quais são os fatores de risco da gota?

Os fatores de risco para gota incluem:

  • Obesidade
  • Ganho de peso excessivo
  • Ingestão moderada a intensa de álcool
  • Pressão alta
  • Função renal anormal

Alguns medicamentos, como diuréticos (pílulas de água) e níveis baixos de hormônios tireoidianos, também podem ser fatores de risco para ataques de gotículas.

Quais são os sintomas da gota?

A grande articulação na base do dedão do pé (primeira articulação metatarsalfilângica) é o local mais comum para um ataque de gota; no entanto, qualquer outra articulação pode ser afetada. Mais comumente, outras articulações afetadas são os tornozelos, joelhos, punhos, dedos e cotovelos.

Pacientes com ataques de gota sofrem um rápido início de dor na articulação afetada, seguido por inchaço, vermelhidão e sensibilidade intensa. Alguns sentem uma dor tão intensa que até o leve toque de um lençol na articulação é insuportável. Esses ataques dolorosos podem durar de horas a vários dias. Em casos de inflamação crônica, o ataque pode durar semanas. Infelizmente, os pacientes com gota correm o risco de ataques repetidos de artrite gotosa.

Gota (dedão do pé)

A grande articulação na base do dedão do pé (primeira articulação metatarsalfilangiana) é o local mais comum para um ataque de gota, mas outras articulações comumente afetadas são os tornozelos, joelhos, punhos, dedos e cotovelos.

Gota (dedos)

Nódulos inflamados de tecido podem se formar na articulação com episódios repetidos de gota ou casos prolongados. Esses caroços são chamados de tofos.

Gota (cotovelo)

Algumas das articulações maiores do corpo têm um saco cheio de líquido ao seu redor que age como um amortecedor chamado bursa. A bursa também ajuda na mecânica de movimento da articulação. Se a gota causar inflamação e inchaço da bursa, é chamada de bursite.

Qual procedimento é usado para diagnosticar a artrite gotosa?

A gota geralmente é diagnosticada por um médico com base na localização da articulação inflamada e na história de ataques não traumáticos semelhantes de dor e inchaço. O teste mais confiável (mas nem sempre necessário) para confirmar a gota é a artrocentese. Artrocentes é um procedimento em que o fluido é retirado (aspirado) de uma articulação inflamada com uma agulha e seringa, usando uma técnica estéril e um anestésico local como a lidocaína. O fluido é enviado para um laboratório onde é analisado quanto à presença de cristais de ácido úrico.

Como a gota é diagnosticada?

O fluido retirado por uma artrocentese é analisado em um laboratório sob um microscópio para a presença de cristais de ácido úrico. A análise do fluido também pode descartar outras causas de inflamação, incluindo infecções bacterianas.

Qual a aparência dos cristais de ácido úrico?

Cristais de ácido úrico em forma de agulha são melhor visualizados com um microscópio.

Como os ataques de gota são evitados?

Ficar bem hidratado é a melhor maneira de prevenir ataques de gota. Beba muita água durante todo o dia. A hidratação adequada também diminui o risco de cálculos renais ou disfunção renal como resultado do acúmulo de ácido úrico.

Evite álcool ou beba apenas com moderação extrema se já teve ataques de gota no passado. O álcool afeta o metabolismo do ácido úrico no corpo e pode causar seu aumento (hiperuricemia). Se os níveis de ácido úrico se acumularem em seu sistema, isso pode precipitar um ataque de gota nas articulações.

Técnicas de prevenção adicionais

Alimentos ricos em purinas, como crustáceos ou carnes orgânicas (fígado, rins, cérebros, pães doces) podem causar ataques de gota. O corpo converte purinas em ácido úrico, que por sua vez leva a ataques de gota.

A redução de peso geral também é uma forma de evitar ataques de gota. Uma dieta baixa em gorduras e calorias, combinada com um regime regular de exercícios pode ajudar a diminuir a probabilidade de um ataque de gota.

Quais são os tratamentos médicos para a gota?

A gota é uma condição muito dolorosa. Analgésicos e medicamentos antiinflamatórios são a base do tratamento da gota. Antiinflamatórios não esteroidais (AINEs), colchicina (Colcrys) e corticosteroides são usados para diminuir a inflamação articular.

Outros medicamentos, como probenecida (que ajuda o corpo a excretar o excesso de ácido úrico) e alopurinol (Zyloprim, Aloprim), (que diminui a quantidade de ácido úrico formado pelo corpo) são usados para controlar o distúrbio metabólico subjacente que causa hiperuricemia e gota. Esses medicamentos diminuem os níveis elevados de ácido úrico no sangue.

O que o futuro reserva para a gota?

A pesquisa está em andamento para encontrar novas estratégias para prevenir a gota. Novos medicamentos estão sendo desenvolvidos para evitar que o corpo tenha altos níveis de ácido úrico e diminuir a probabilidade de um ataque de gota doloroso.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Terapias, ensaios clínicos e vida após o câncer de pulmão

Terapias direcionadas ao câncer de pulmão

Algumas terapias conhecidas como terapias direcionadas são projetadas para prevenir ou impedir o crescimento das células do câncer de pulmão, visando os novos vasos sanguíneos necessários para permitir que as células cancerosas sobrevivam e cresçam. Outros tratamentos visam o crescimento e a multiplicação das células cancerosas do pulmão, interferindo nos sinais químicos exigidos pelo crescimento ou multiplicação das células cancerosas.

Ensaios clínicos para câncer de pulmão

Além das terapias direcionadas, existem vários ensaios clínicos para os quais uma pessoa pode se qualificar. Alguns podem estar disponíveis em sua cidade natal. Esses testes clínicos fazem com que os pacientes experimentem os mais novos métodos terapêuticos e drogas potencialmente úteis para combater o câncer de pulmão.

A vida após o diagnóstico de câncer de pulmão

Após o diagnóstico de câncer de pulmão, não é incomum sentir-se deprimido e chateado. No entanto, as pesquisas estão em andamento e é possível sobreviver e estender sua vida com tratamento. Mesmo com o diagnóstico, há evidências de que as pessoas que desenvolvem um estilo de vida saudável e param de fumar se saem melhor do que aquelas que não mudam.

Câncer de pulmão e fumo passivo

Os fumantes de tabaco colocam outras pessoas em risco de desenvolver câncer de pulmão. Um não fumante (esposa, filho, outro significativo) que vive com um fumante tem um aumento de 20% a 30% no risco de desenvolver câncer de pulmão devido à exposição a concentrações de fumaça em seu ambiente local.

Câncer de pulmão e exposições de trabalho

Embora fumar seja a causa mais comum de câncer de pulmão, outros compostos e produtos químicos também podem aumentar o risco de câncer de pulmão. Agentes como amianto, urânio, arsênico, benzeno e muitos outros aumentam o risco de desenvolver câncer de pulmão.

A exposição ao amianto pode causar câncer de pulmão (mesotelioma) muitos anos após a exposição inicial, então as pessoas podem estar em risco de doença pulmonar por décadas (10 a 40 anos).

Câncer de pulmão e gás radônio

Outro produto químico, o gás radônio, é a segunda principal causa de câncer de pulmão. Ocorre naturalmente, mas pode infiltrar-se nas casas e acumular-se em porões e espaços para rastejar. É incolor e inodoro, mas pode ser detectado com kits de teste relativamente simples e baratos. Fumantes expostos a esse gás têm maior risco de desenvolver câncer de pulmão do que os não fumantes.

Câncer de pulmão e poluição do ar

Alguns pesquisadores sugerem que a poluição do ar contribui para o desenvolvimento de câncer de pulmão. Vários estudos apresentam dados de que poluentes transportados pelo ar, como o escapamento de diesel, podem fazer com que algumas pessoas desenvolvam câncer de pulmão. Os pesquisadores estimam que cerca de 5% dos cânceres de pulmão são causados por poluentes atmosféricos.

Fatores de risco aumentados para câncer de pulmão

Embora muito se saiba sobre o câncer de pulmão, ainda existem muitas coisas e situações que não são claras. Por exemplo, não se sabe por que algumas famílias têm histórico de câncer de pulmão, apesar de não haver fatores de risco claros. O mesmo é verdade para alguns pacientes que desenvolvem câncer de pulmão sem fatores de risco claros.

Beber água com altas concentrações de arsênio pode aumentar o risco de câncer de pulmão, mas não está claro como o processo acontece. Além disso, a razão pela qual o adenocarcinoma nos pulmões é mais comum em não fumantes do que em fumantes permanece desconhecida.

Prevenção do câncer de pulmão

Para a maioria dos cânceres de pulmão, a prevenção é possível se a pessoa nunca fumar e evitar o fumo passivo. Para os fumantes que param de fumar, em 10 anos o risco de desenvolver câncer de pulmão cai para o mesmo risco de se nunca tivessem fumado. Evitar outros fatores de risco (por exemplo, certos produtos químicos ou compostos como benzeno, amianto ou poluição do ar) também pode impedir que algumas pessoas desenvolvam câncer de pulmão.

Parar de fumar beneficia a sua saúde enquanto lhe ajuda a com uma boa dieta para emagrecer.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

 

O que é Glaucoma? Sintomas e Causas da Doença

O que é isso? Definição de Glaucoma

Glaucoma não é uma coisa. O termo se refere a um grupo de doenças oculares que danificam o nervo óptico. O glaucoma pode causar sérios problemas de visão, incluindo cegueira, mas muitas vezes pode ser evitado quando detectado a tempo.

O que é o nervo óptico?

O nervo óptico é o cordão entre o cérebro e os olhos. É feito de mais de um milhão de pequenas fibras nervosas. Sem seu cérebro, seu olho é praticamente inútil, pois o cérebro reconfigura tudo o que você vê, dando sentido ao mundo visual. É isso que torna esse nervo tão importante para sua saúde visual; quando este cabo é danificado, sua visão pode ser diminuída.

Se você ou alguém que você conhece tem glaucoma, os slides a seguir podem ajudá-lo a entender a condição, seus tratamentos e quais medidas você deve tomar enquanto convive com o glaucoma. Se você nunca foi diagnosticado, saiba quem está em maior risco de desenvolver glaucoma e como isso pode ser detectado e prevenido.

Causas do Glaucoma

Embora existam várias doenças que podem causar glaucoma, elas derivam principalmente de uma falha em drenar o fluido do olho. Seus olhos estão constantemente produzindo um fluido chamado humor aquoso. Esse fluido nutre o olho e o mantém inflado a uma pressão constante.

Como você cria constantemente mais humor aquoso, o fluido antigo também precisa ser drenado constantemente. O cano de esgoto do olho é conhecido como ângulo de drenagem. Se o seu olho não estiver drenando corretamente, a pressão dentro dele aumenta. Isso danifica o nervo óptico, matando algumas das minúsculas fibras nervosas de que é feito e deixando você com pontos cegos.

Fatores de risco de glaucoma

Algumas pessoas correm um risco maior de desenvolver glaucoma do que outras. Você corre um risco maior de desenvolver glaucoma se pertencer a qualquer um dos seguintes grupos:

  • Pessoas com diabetes
  • Afro-americanos com mais de 40 anos
  • Todas as pessoas com mais de 60 anos
  • Pessoas com histórico familiar de glaucoma

O risco é maior para os afro-americanos, que têm de seis a oito vezes mais probabilidade do que os brancos de desenvolver glaucoma. Pessoas com diabetes têm duas vezes mais chances de desenvolver a doença do que aquelas sem diabetes.

Glaucoma de Ângulo Aberto

A grande maioria dos casos de glaucoma são glaucoma de ângulo aberto. Pelo menos nove em cada 10 pacientes de glaucoma sofrem desta doença. Às vezes é conhecido como glaucoma crônico ou glaucoma primário. Cerca de 3 milhões de americanos sofrem de glaucoma de ângulo aberto.

O “ângulo aberto” se refere ao ângulo entre a íris e a córnea, que é por onde o fluido é drenado do seu olho. Esta área está totalmente aberta, como deveria ser. Apesar disso, o olho drena lentamente, o que pode causar pressão excessiva no olho e potencial cegueira.

Pessoas com glaucoma de ângulo aberto precisam controlar cuidadosamente sua pressão arterial. A pressão arterial elevada pode contribuir para a lesão do nervo da fibra óptica, por isso, trabalhar com o seu médico para manter a pressão arterial dentro de um intervalo saudável é vital para a sua saúde visual.

Glaucoma de ângulo fechado

Às vezes, o ângulo entre a íris e a córnea é bloqueado pela íris. Isso causa glaucoma de ângulo fechado. Quando o ângulo é bloqueado, o fluido não pode deixar o olho como normalmente sai, o que leva a problemas de pressão ocular e cegueira potencial como todos os tipos de glaucoma. O glaucoma de ângulo fechado tende a ser hereditário. Cerca de meio milhão de pessoas nos Estados Unidos têm essa condição. Pessoas de ascendência asiática e míopes têm maior probabilidade de ser afetadas por ela.

O glaucoma de ângulo fechado pode surgir repentinamente (agudo) ou lentamente ao longo do tempo (crônico). Quando é aguda, essa condição pode ser extremamente dolorosa, pois a pressão no olho aumenta repentinamente. Os sintomas de glaucoma agudo de ângulo fechado incluem:

  • Vendo halos ao redor da luz
  • olhos vermelhos
  • Náusea
  • Visão nublada

É necessário tratamento médico imediato se sentir estes sintomas. Com o tratamento rápido, a recuperação completa é típica.

Glaucoma de tensão normal (GTN)

Nesse tipo de glaucoma, o nervo óptico é danificado apesar da pressão ocular quase normal. Também conhecido como glaucoma de baixa tensão ou de pressão normal, o GTN é mais comum em pessoas de herança japonesa, aqueles com histórico familiar da doença e aqueles que têm batimento cardíaco irregular ou histórico de doença cardíaca sistêmica.

As causas do GTN permanecem um mistério. Seu oftalmologista pode detectá-lo observando o nervo óptico. Se o nervo não tiver sua cor rosa saudável normal ou se for escavado, isso pode indicar GTN. Os médicos também podem usar um teste de campo de visão para pesquisar a perda de visão.

Glaucoma congênito (glaucoma infantil)

Às vezes, as crianças nascem com glaucoma. É o caso dessa doença, também conhecida como glaucoma infantil ou infantil. Em alguns casos, o glaucoma congênito é hereditário.

Freqüentemente, as crianças com essa doença são diagnosticadas no primeiro ano de vida. Os sintomas incluem:

  • Olhos excepcionalmente grandes
  • Córneas nubladas
  • Lágrimas excessivas
  • Sensibilidade à luz (fotossensibilidade)

A cirurgia pode corrigir esse problema em muitos casos. Às vezes, são necessários medicamentos além da cirurgia. Incentivar a criança a participar do autocuidado por meio de medicamentos orais e colírios pode ajudar a preservar sua visão para o futuro.

Sintomas de glaucoma

Uma das coisas mais assustadoras sobre o glaucoma é que geralmente surge sem sintomas iniciais. É por isso que às vezes é chamado de "ladrão silencioso da visão". Antes de saber que tem um problema, você já pode ter uma lesão ocular irreversível. Dos estimados 3 milhões de americanos com glaucoma, cerca de metade nem sabe que tem.

O número de portadores de glaucoma não diagnosticados é ainda maior em certas populações. Até 75% dos latinos com glaucoma não sabem que têm a doença. Esse é um fato assustador, considerando que o glaucoma é uma das principais causas de cegueira nos Estados Unidos

Embora a maioria dos casos de glaucoma comece sem sintomas, os sinais da doença podem se desenvolver com o tempo. A perda de visão causada pelo glaucoma começa nas bordas de sua visão. Pode ser como olhar para um túnel.

Essa visão vai desaparecendo lentamente até que o sofredor comece a perder objetos com o canto dos olhos. Eventualmente, sua visão central também diminui, levando à cegueira se não for tratada. Como o glaucoma geralmente começa sem sintomas, exames regulares são cruciais. A detecção precoce é a chave para preservar sua visão.

Como o glaucoma é testado?

Como o glaucoma começa sem sintomas, você precisa fazer exames aos olhos regularmente. Os oftalmologistas têm uma variedade de maneiras de diagnosticar o glaucoma. Alguns desses testes exigem que seus olhos sejam anestesiados primeiro.

A pressão do olho pode ser medida diretamente com um dispositivo chamado tonômetro. Este é um teste rápido e indolor. O paquímetro mede a espessura da córnea. Isso é importante porque córneas finas podem ajudar a prever o glaucoma.

Usando outros dispositivos, seu médico examinará sua visão periférica e seu próprio nervo óptico. Outro dispositivo chamado gonioscópio pode examinar o ângulo de drenagem diretamente.

Medicamentos para glaucoma

Depois de ser diagnosticado com glaucoma, você precisa tomar sua medicação regularmente e com precisão para preservar sua visão. Alguns desses medicamentos têm efeitos colaterais, mas muitos pacientes não apresentam nenhum deles. Como acontece com qualquer novo medicamento, você deve informar ao seu médico todos os outros medicamentos que pode estar tomando antes de iniciar o tratamento.

Colírio

A maioria dos pacientes com glaucoma será tratada com colírios. O colírio prescrito por um médico pode manter a pressão dentro do olho.

Embora existam vários tipos de colírios para glaucoma, todos eles têm o potencial de irritar os olhos, dependendo da sua sensibilidade. Você pode precisar trocar os medicamentos dependendo dos efeitos colaterais, então converse com seu médico para encontrar o ajuste certo para você.

Pílulas

Uma grande variedade de pílulas é usada para tratar o glaucoma. Alguns desses medicamentos fazem com que seus olhos produzam menos líquido. Outros aumentam a drenagem do fluido ocular.

Um punhado de outros faz as duas coisas. Esses medicamentos têm uma ampla gama de efeitos colaterais e interações com outros medicamentos, portanto, é importante informar ao seu médico quais medicamentos você já está tomando.

Dicas para aplicar colírio para glaucoma

Para ter a melhor chance de evitar problemas de visão com glaucoma, você precisa usar o colírio de maneira adequada e consistente. Fazer da maneira certa pode significar a diferença entre uma vida de visão clara e uma vida com problemas crescentes de visão que podem resultar em cegueira. Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo a preservar sua visão com colírios:

  • Lave as mãos primeiro e mantenha o conta-gotas limpo. Você não quer infectar seus olhos acidentalmente! Pelo mesmo motivo, evite tocar nos olhos com a ponta do conta-gotas.
  • Alguns medicamentos requerem mais de uma gota por sessão. Se isso for verdade, espere cinco minutos antes de adicionar uma segunda gota. Isso dá aos seus olhos tempo para absorver o medicamento.
  • Depois de adicionar uma gota, mantenha os olhos fechados por três minutos e não pisque.
  • Se você achar que as gotas escorrem para a garganta, pressione suavemente o dedo ou o polegar contra o canto interno do olho fechado por dois ou três minutos.
  • Se você achar difícil manter as mãos firmes, um peso leve para o pulso, comprado em uma loja de artigos esportivos, pode ser usado para evitar tremores.

Cirurgia a laser para glaucoma

A cirurgia a laser é geralmente a primeira opção cirúrgica usada para pacientes com glaucoma. Usando um feixe de luz altamente focalizado, um pequeno orifício é feito no tecido ocular para permitir que o fluido drene mais livremente. Este é um procedimento ambulatorial e os pacientes geralmente podem retomar suas atividades normais no dia seguinte. Normalmente, apenas um olho é operado de cada vez.

Existem várias formas de cirurgia a laser usadas em pacientes com glaucoma, dependendo da causa de sua condição e de sua gravidade. As formas mais comuns são a trabeculoplastia seletiva a laser (SLT), a trabeculoplastia a laser de argônio (ALT), a iridotomia periférica a laser (LPI) e a ciclofotocoagulação a laser.

Você pode ver flashes de luz vermelha ou verde durante a cirurgia. Após a cirurgia, você pode ter inflamação ou outros efeitos colaterais. Você será enviado para casa com colírios antiinflamatórios e precisará agendar uma consulta de acompanhamento para monitoramento adicional. Embora a cirurgia a laser tenha se mostrado bem-sucedida, seus efeitos são temporários em alguns casos e podem exigir mais cirurgias com o tempo.

Cirurgia Tradicional de Glaucoma

Às vezes, remédios e cirurgia a laser não são suficientes. Nesses casos, os médicos recorrem à cirurgia convencional para o glaucoma. Esse tipo de cirurgia reduz a pressão ocular em cerca de 60% a 80% das vezes e pode exigir cirurgia adicional, dependendo da eficácia. É mais eficaz se você não fez outras formas de cirurgia ocular, como remoção de catarata.

Cerca de metade das vezes os pacientes não precisam de seus medicamentos habituais para glaucoma por um período significativo de tempo após a cirurgia. Para aqueles que continuam seus medicamentos, cerca de 30% a 40% têm melhor controle da pressão ocular.

Após a cirurgia, você receberá um tipo diferente de colírio que ajuda a combater infecções. Você precisará limitar algumas atividades por duas semanas a um mês após a cirurgia, incluindo ler, dirigir, curvar-se e levantar objetos pesados.

Reduzindo o risco de glaucoma

Não há como prevenir o glaucoma ainda, mas existem maneiras de reduzir o risco de desenvolvê-lo. Para lhe dar as melhores chances de evitar essa condição, aqui estão algumas maneiras de diminuir o risco de glaucoma:

  • Se você está acima do peso, perca peso. Se você tem um peso saudável, mantenha esse peso.
  • Mantenha sua pressão arterial sob controle.
  • Fique ativo. Faça bastante exercício. Mas converse com seu médico sobre quais exercícios são mais benéficos para regular a pressão do olho. Algumas formas de levantamento de peso, por exemplo, podem aumentar a pressão ocular.
  • Não fume.
  • Inclua muitos vegetais de folhas verdes em sua dieta. Eles contêm nutrientes que fornecem proteção especial para os olhos. Coma nozes e outros alimentos com bastante vitamina E, que preserva as células nervosas.
  • Não beba muito de uma vez. Beber um litro ou mais de líquido em menos de 20 minutos demonstrou contribuir para o risco de desenvolver glaucoma.
  • Se você passa muito tempo na frente da tela do computador, lembre-se de fazer pausas frequentes. Mesmo alguns segundos de distância da tela podem ser suficientes para evitar o cansaço visual.

Gerenciando Glaucoma

Se você foi diagnosticado com glaucoma, fará tudo o que puder para preservar sua visão. Muito disso se resume a marcar e manter consultas com seu oftalmologista, bem como tomar seus medicamentos de forma adequada e consistente. Embora este conselho se aplique a qualquer pessoa com diagnóstico de glaucoma, convém tomar medidas extras se você já teve alguma perda de visão.

Felizmente, muitos produtos e recursos estão disponíveis para quem sofre de baixa visão. Dependendo de suas necessidades e de sua deficiência, você pode achar úteis lentes de aumento, ampliadores de texto ou lentes coloridas.

O brilho pode ser particularmente problemático para quem sofre de glaucoma, portanto, encontrar maneiras de reduzir o brilho pode realmente valer a pena. Uma maneira de fazer isso é usar lentes coloridas. Outra é direcionar a fonte de luz por trás do ombro quando estiver lendo ou fazendo outras atividades que exijam um exame cuidadoso.

Dirigindo com Glaucoma

A maioria das pessoas com glaucoma ainda consegue dirigir com segurança. É claro que depende de quão avançada está sua perda de visão. Lembre-se de que nos estágios iniciais da perda de visão do glaucoma, sua visão periférica é prejudicada.

Isso pode fazer com que você perca detalhes importantes na estrada, incluindo outros carros e pedestres, conforme eles entram em seu campo de visão.

Se você está preocupado em dirigir com glaucoma, converse com seu oftalmologista. Existem especialistas em glaucoma que podem avaliar sua habilidade de dirigir com testes tanto na estrada quanto fora dela. Esses especialistas podem lhe dar dicas de direção feitas sob medida para atender às suas circunstâncias.

Se você tiver que desistir de dirigir, ainda há maneiras de manter sua independência. Você pode compartilhar viagens com amigos e familiares, aprender rotas de ônibus, trem ou metrô, ou ligar para um táxi ou programa de compartilhamento de caronas.

Perguntas para o seu médico

Se você ou um ente querido foi diagnosticado com glaucoma, você provavelmente deseja saber mais sobre a condição e quais medidas devem ser tomadas a seguir. É uma ideia inteligente chegar com uma lista de perguntas. Você pode querer perguntar alguns destes:

  • Como minha visão será afetada agora e no futuro?
  • Devo mudar alguma coisa no meu estilo de vida?
  • Há algum sintoma ameaçador que eu deva observar?
  • Como posso tratar o glaucoma?
  • Devo evitar medicamentos, alimentos ou atividades?
  • Quais testes vou precisar?
  • Quando terei uma resposta sobre meus testes?
  • Vou precisar de mais testes com o passar do tempo?

Continue fazendo perguntas até entender o que você precisa saber. Faça anotações. Pode ser útil pedir ao seu médico que anote todas as instruções que ele possa ter para você.

Cuidar de sua saúde como uma boa dieta para emagrecer e produtos como detox caps pode refletir de maneira benéfica a sua saúde ocular!

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

O que é a Diabetes Tipo 2 e quais são seus sintomas?

 

O que é diabetes tipo 2?

O diabetes tipo 2 pode afetar todas as pessoas, independentemente da idade. Os primeiros sintomas do diabetes tipo 2 podem passar despercebidos, de modo que as pessoas afetadas podem nem saber que têm a doença.

Estima-se que uma em cada três pessoas nos estágios iniciais do diabetes tipo 2 não sabe que tem.

O diabetes interfere na capacidade do corpo de metabolizar carboidratos para obter energia, levando a altos níveis de açúcar no sangue.

Esses níveis cronicamente elevados de açúcar no sangue aumentam o risco de uma pessoa desenvolver sérios problemas de saúde.

A longo prazo, as consequências potenciais do açúcar elevado no sangue não tratado incluem:

  • Problemas nervosos
  • Perda de visão
  • Deformidades articulares
  • Doença cardiovascular
  • Coma diabético (risco de vida)

Sede

Embora as pessoas com diabetes tipo 2 possam não ter sintomas específicos, um aumento da sede é um sintoma característico da doença.

O aumento da sede pode acompanhar outros sintomas, como micção frequente, sensação de fome incomum, boca seca e ganho ou perda de peso.

Dores de cabeça

Outros sintomas que podem ocorrer se os níveis elevados de açúcar no sangue persistirem são fadiga, visão turva e dores de cabeça.

Infecções

Freqüentemente, o diabetes tipo 2 só é identificado depois que suas consequências negativas para a saúde são aparentes.

Certas infecções e feridas que demoram muito para cicatrizar são um sinal de alerta. Outros sinais possíveis incluem infecções fúngicas frequentes, infecções do trato urinário e coceira na pele.

Disfunção Sexual

Problemas sexuais podem ocorrer como resultado do diabetes tipo 2. Como o diabetes pode danificar os vasos sanguíneos e nervos dos órgãos sexuais, pode ocorrer diminuição da sensação, podendo levar a dificuldades com o orgasmo.

A secura vaginal nas mulheres e a impotência nos homens são outras complicações da diabetes. As estimativas sugerem que entre 35% e 70% dos homens com diabetes acabarão sofrendo de impotência.

Estatísticas para mulheres mostram que cerca de um terço das mulheres com diabetes terão alguma disfunção sexual.

Em risco de diabetes tipo 2?

Certos fatores de risco relacionados às escolhas de estilo de vida e condições médicas podem aumentar o risco de desenvolver diabetes tipo 2. Esses incluem:

  • Fumar cigarro
  • Estar acima do peso ou ser obeso, especialmente na cintura
  • Falta de exercício e de uma dieta para emagrecer
  • Consumir uma dieta rica em carnes processadas, gordura, doces e carnes vermelhas
  • Níveis de triglicerídeos acima de 250 mg / dL
  • Níveis baixos de colesterol HDL "bom" (abaixo de 35 mg / dL)

Fatores de risco herdados para diabetes tipo 2

Alguns fatores de risco para diabetes não podem ser controlados. Hispânicos, nativos americanos, asiáticos e afro-americanos têm um risco maior do que a média de contrair diabetes.

Ter um histórico familiar (pai ou irmão) com diabetes aumenta o risco. Pessoas com mais de 45 anos têm um risco maior de diabetes tipo 2 do que pessoas mais jovens.

Quais são os riscos do diabetes tipo 2 nas mulheres?

Mulheres que desenvolveram diabetes gestacional durante a gravidez têm maior risco de desenvolver diabetes tipo 2 mais tarde na vida. O mesmo vale para mulheres que têm bebês com mais de 4 quilos.

Síndrome dos ovários policísticos

A síndrome do ovário policístico é um problema de saúde caracterizado por muitos pequenos cistos nos ovários, períodos irregulares e altos níveis de hormônios androgênicos.

Como um sintoma da síndrome dos ovários policísticos é a resistência à insulina, as mulheres com essa condição também são consideradas de maior risco para diabetes.

Como funciona a insulina?

A insulina é um hormônio que permite ao corpo usar eficientemente a glicose como combustível.

Depois que os carboidratos são decompostos em açúcares no estômago, a glicose entra na circulação sanguínea e estimula o pâncreas a liberar insulina na quantidade adequada. A insulina permite que as células do corpo captem glicose como energia.

Resistência a insulina

No diabetes tipo 2, as células do corpo não conseguem absorver a glicose de maneira adequada, levando a altos níveis de glicose no sangue.

A resistência à insulina significa que embora o corpo possa produzir insulina, as células do corpo não respondem adequadamente à insulina que é produzida. Com o tempo, o pâncreas reduz a quantidade de insulina que produz.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Informações gerais sobre a Diabetes Tipo 2

Como o diabetes tipo 2 é diagnosticado

O teste de hemoglobina A1c mede a quantidade de hemoglobina glicosilada (hemoglobina ligada à glicose) no sangue e fornece informações sobre os níveis médios de glicose no sangue durante os 2 a 3 meses anteriores.

Os níveis de hemoglobina A1c acima de 6,5% são sugestivos de diabetes. Outro teste diagnóstico é o teste de glicose no sangue em jejum. Se o seu nível de glicose no sangue em jejum for superior a 126, isso indica que há diabetes.

Níveis aleatórios de glicose no sangue acima de 200 também são consistentes com diabetes.

Diabetes e dieta

Manter um bom controle sobre os níveis de açúcar no sangue pode ajudar a reduzir o risco de desenvolver complicações decorrentes do diabetes.

Seu médico pode encaminhá-lo a um nutricionista registrado ou conselheiro de diabetes para ajudá-lo a formular um plano de alimentação saudável. Muitas pessoas com diabetes tipo 2 precisam monitorar a ingestão de carboidratos e reduzir calorias.

Observar o consumo total de gordura e proteína também é recomendado.

Exercite-se

O exercício regular, incluindo caminhadas, pode ajudar as pessoas com diabetes tipo 2 a reduzir os níveis de glicose no sangue.

A atividade física também reduz a gordura corporal, diminui a pressão arterial e ajuda a prevenir doenças cardiovasculares. É recomendado que as pessoas com diabetes tipo 2 façam 30 minutos de exercícios moderados na maioria dos dias.

Reduzir o estresse

O estresse é particularmente preocupante para pessoas com diabetes. O estresse não apenas aumenta a pressão arterial, mas também pode aumentar os níveis de glicose no sangue. Muitas pessoas com diabetes descobrem que as técnicas de relaxamento podem ajudar a controlar sua condição.

Os exemplos são visualização, meditação ou exercícios respiratórios. Tirar proveito das redes de apoio social também é útil, como conversar com um parente ou amigo, membro do clero ou conselheiro.

Medicamentos orais

A medicação oral é recomendada para pessoas com diabetes tipo 2 que não conseguem controlar adequadamente o açúcar no sangue com dieta e exercícios. Muitos tipos de medicamentos orais para diabetes estão disponíveis e podem ser usados em combinação para obter os melhores resultados.

Alguns aumentam a produção de insulina, outros melhoram o uso da insulina pelo corpo, enquanto outros ainda bloqueiam parcialmente a digestão dos amidos. Seu médico pode determinar o melhor medicamento para suas necessidades individuais.

Insulina

Algumas pessoas com diabetes tipo 2 também tomam insulina, às vezes em combinação com medicamentos orais.

A insulina também é usada na "falha das células beta", uma condição na qual o pâncreas não produz mais insulina em resposta à glicose sanguínea elevada. Isso pode ocorrer em pessoas com diabetes tipo 2. Se a insulina não for produzida, o tratamento com insulina é necessário.

Injeções sem insulina

Existem outros medicamentos não insulínicos administrados na forma de injeção, usados para tratar o diabetes tipo 2. Os exemplos são pramlintide (Symlin), exenatide (Byetta) e liraglutide (Victoza). Essas drogas estimulam a liberação de insulina.

Testando seu açúcar no sangue

O seu médico pode sugerir com que frequência você deve testar a glicose no sangue. O teste pode dar uma boa idéia de até que ponto seu diabetes está sob controle e pode dizer se seu plano de tratamento precisa ser alterado.

Momentos comuns para testar o açúcar no sangue

  • Primeira coisa pela manhã
  • Antes e depois das refeições
  • Antes e depois do exercício
  • Antes de dormir

Diabetes tipo 2 e ataques cardíacos

Cerca de duas em cada três pessoas com diabetes morrem de doenças cardíacas. Com o tempo, os níveis elevados de açúcar no sangue danificam os vasos sanguíneos, levando a um aumento do risco de coágulos.

Isso aumenta o risco de ataque cardíaco. Pessoas com diabetes também apresentam risco aumentado de acidente vascular cerebral por causa dos danos aos vasos sanguíneos.

Riscos renais relacionados ao diabetes tipo 2

O risco de desenvolver doença renal crônica aumenta com o tempo em pessoas com diabetes. Diabetes é a causa mais comum de insuficiência renal, representando cerca de 44% dos casos.

Manter o diabetes sob controle pode reduzir o risco de insuficiência renal. Os medicamentos também são usados para reduzir o risco de doença renal em pessoas com diabetes.

Diabetes tipo 2 e lesões oculares

A retinopatia diabética é a lesão dos minúsculos vasos sanguíneos da retina do olho devido aos altos níveis de açúcar no sangue ao longo do tempo. Isso pode causar perda de visão progressiva e permanente.

A retinopatia diabética é a causa mais comum de nova cegueira em pessoas entre 20 e 74 anos. Esta imagem mostra poças de sangue, ou hemorragias, na retina.

Dor no nervo

Formigamento, dormência e sensação de "alfinetes e agulhas" são todos sintomas de neuropatia diabética ou lesão nervosa relacionada ao diabetes. Isso é mais comum nas mãos, pés, dedos das mãos ou dos pés. O controle do diabetes pode ajudar a prevenir essa complicação.

Lesões nos pés e diabetes tipo 2

Danos nos nervos causados pelo diabetes podem dificultar a sensação de lesões nos pés. Ao mesmo tempo, danos aos vasos sanguíneos podem reduzir a circulação nos pés de pessoas com diabetes.

As feridas que cicatrizam mal e até gangrena são complicações da diabetes que podem ocorrer nos pés. A amputação pode ser o resultado em casos graves.

Prevenção de diabetes tipo 2

O diabetes tipo 2 pode ser prevenido em muitos pacientes. No mínimo, é possível reduzir a incidência de complicações do diabetes comendo uma dieta saudável, fazendo exercícios moderados e mantendo um peso saudável com sua dieta para emagrecer.

Também é útil que as pessoas em risco sejam testadas para diabetes e pré-diabetes, para que o tratamento possa começar no início do curso da doença. Isso reduz o risco de problemas de longo prazo.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Preparo físico e exercícios: malhar quando você tem mais de 50 anos

Dançando

Não importa o tipo: salão de baile, linha, quadratura, até aulas de aeróbica com dança como Zumba e Jazzercise. A dança ajuda a sua resistência, fortalece os músculos e melhora o equilíbrio.

Ele queima muitas calorias porque faz com que você se mova em todas as direções. Pesquisas mostram que aprender novos movimentos também é muito bom para o cérebro.

Além disso, você pode estar se divertindo tanto que pode não perceber que está fazendo exercícios.

Golfe

Grande parte dos benefícios desse esporte vem da caminhada: uma volta média é de mais de 10.000 passos, ou cerca de 5 milhas!

Além disso, o seu swing usa todo o seu corpo e requer um bom equilíbrio - e concentração calma.

Se você carrega ou puxa seus tacos, isso é ainda mais difícil. Mas mesmo usando um carrinho vale a pena. Você ainda está trabalhando seus músculos e progredindo junto com ar fresco e alívio do estresse.

Ciclismo

É especialmente bom quando você tem articulações rígidas ou doloridas, porque suas pernas não precisam suportar seu peso.

A ação faz com que o sangue se mova e construa músculos na parte frontal e posterior das pernas e quadris. Você usa o abdômen para se equilibrar e os braços e ombros para dirigir.

Porque há resistência, você está fortalecendo seus ossos também. Quadros e selins de bicicleta especialmente projetados podem tornar a pilotagem mais segura e fácil para vários problemas de saúde.

Tênis

Esportes com raquete, incluindo tênis, squash e badminton, podem ser particularmente bons para mantê-lo vivo por mais tempo e diminuir suas chances de morrer de doenças cardíacas.

Jogar tênis 2 ou 3 vezes por semana está relacionado a melhores tempos de resistência e reação, menor gordura corporal e maior colesterol HDL "bom".

E constrói ossos, especialmente em seu braço, parte inferior das costas e pescoço. Jogue em duplas para um treino menos intenso e mais social.

Treinamento de força

A perda muscular é uma das principais razões pelas quais as pessoas se sentem menos energéticas à medida que envelhecem.

Quando você levanta pesos, faz exercícios em máquinas, usa faixas de resistência ou faz exercícios com seu próprio peso corporal (como flexões e abdominais), você aumenta a força, a massa muscular e a flexibilidade.

Isso tornará coisas como carregar mantimentos e subir escadas mais fáceis. Você pode ingressar em uma academia, mas não precisa. Cavar e escavar no jardim também conta!

Natação

Você pode se exercitar por mais tempo na água do que na terra. Não há peso exercendo pressão sobre as articulações (e fazendo-as doer), e a água oferece resistência para construir músculos e ossos.

A natação queima calorias e estimula o coração como correr e andar de bicicleta, mas não é provável que você aqueça demais. A umidade ajuda as pessoas com asma a respirar. O exercício aquático melhora a mentalidade das pessoas com fibromialgia.

Ioga

Manter ativamente uma série de posturas alongará e fortalecerá seus músculos, assim como os tendões e ligamentos que mantêm seus ossos unidos.

A respiração atenta também a torna uma espécie de meditação. A ioga pode ajudar a diminuir a frequência cardíaca e a pressão arterial e a aliviar a ansiedade e a depressão.

Confira diferentes estilos e classes para corresponder ao seu nível de condicionamento físico e o que agrada a você.

Tai chi

Este exercício silencioso às vezes é chamado de "meditação em movimento". Você move seu corpo lenta e suavemente, fluindo de uma posição para a outra, enquanto respira profundamente.

Não é apenas bom para o equilíbrio, mas também pode melhorar a saúde dos ossos e do coração. Pode ajudar a aliviar a dor e a rigidez da artrite. Pode até ajudá-lo a dormir melhor.

Quanto?

Se você estiver bem de saúde, deve fazer pelo menos 150 minutos de atividade cardiovascular moderada por semana.

É melhor quando você distribui por 3 dias ou mais, por um mínimo de 10 minutos por vez. Também passe um tempo pelo menos duas vezes por semana trabalhando especificamente os músculos das pernas, quadris, costas, abdômen, tórax, ombros e braços.

De modo geral, quanto mais você se exercita, mais benefícios você obtém. E qualquer coisa é melhor do que nada.

Comece devagar

Isso é especialmente importante se você não faz exercícios há algum tempo ou quando está iniciando alguma atividade nova com a qual seu corpo não está acostumado.

Comece com 10 minutos e aumente gradualmente a duração, a freqüência ou a intensidade dos exercícios. Precisa de motivação? Acompanhe o seu progresso, seja por conta própria ou com um aplicativo ou ferramenta online como o My Go4Life do National Institutes of Health.

Quando chamar seu médico

Dor no peito, problemas respiratórios, tonturas, problemas de equilíbrio e náuseas durante o exercício podem ser sinais de alerta. Informe o seu médico mais cedo ou mais tarde.

Seu corpo não vai se recuperar tão rápido quanto antes. Se seus músculos ou articulações doerem no dia seguinte, você pode ter exagerado. Disque novamente e veja o que acontece. Verifique com seu médico se a dor continua. 

Praticar exercício físico ainda pode lhe ajudar em sua dieta para emagrecer!

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Dicas de treinamento para uma vida saudável

Resultados mais rápidos: superconjuntos

Para construir músculos mais fortes em menos tempo, faça séries de dois exercícios diferentes com pouco ou nenhum descanso entre eles.

No início, faça super séries que trabalhem grupos musculares opostos. Exemplo: um conjunto de rosca bíceps e um conjunto de flexões de tríceps.

Resultados mais rápidos: conjuntos compostos

Depois de levantar pesos por alguns meses, você pode mudar sua rotina. Os conjuntos compostos envolvem dois exercícios diferentes para o mesmo grupo de músculos, sem descanso entre eles. Um exemplo de construção do peito: Faça uma série de supinos com halteres e, em seguida, uma série de abdominais. Isso esgota o músculo rápida e completamente, o que o ajuda a crescer.

Parte inferior do corpo: Leg Press

Cada academia tem um cara em forma de lâmpada. Ele é aquele que negligencia a parte inferior do corpo. Se você não quer ser aquele cara, trabalhe os principais músculos das pernas no aparelho de leg press.

Coloque os pés na placa com os joelhos dobrados a 90 graus e os pés separados aproximadamente na largura dos ombros.

Segure as alças e empurre lentamente a placa para fora até que seus joelhos estejam retos, mas não travados. Faça uma pausa e retorne lentamente ao ponto inicial.

Parte inferior do corpo: agachamento

Os agachamentos têm como alvo a parte interna e externa das coxas. Use uma barra pesada o suficiente para desafiar seus músculos, mas leve o suficiente para que você ainda possa controlar sua forma.

Segure-o atrás da cabeça com os pés na largura dos ombros. Contraia o núcleo e agache-se o máximo que for confortável. Não deve haver dor no joelho ou nas costas. Ao subir de volta, levante os quadris e o peito juntos.

Corpo Inferior: Dead Lift

Este é um dos melhores exercícios para os isquiotibiais e glúteos. Comece em pé, com os pés separados na largura dos ombros.

Segure a barra à sua frente. Aperte os glúteos e abaixe a barra até logo abaixo dos joelhos. Você pode abaixá-lo ainda mais se conseguir manter as costas retas e a coluna estável. Retorne lentamente à posição inicial.

Mantenha a barra próxima ao corpo para proteger a parte inferior das costas.

Parte inferior do corpo: panturrilha

Fique em um pé só com o arco e o calcanhar pendurados na borda de um degrau ou plataforma.

Segure-se em algo se precisar de ajuda para se equilibrar. Solte o calcanhar completamente abaixo do degrau e, em seguida, suba na ponta dos pés.

Segure halteres para tornar mais difícil. Se você conseguir se equilibrar sem se agarrar a algo, também trabalhará os músculos centrais.

Mantenha seus músculos crescendo

Se você parar de obter os resultados desejados após várias semanas de exercícios, é hora de misturar as coisas. Você precisa desafiar ou "confundir" seus músculos com frequência para mantê-los crescendo.

Você pode fazer isso dando uma guinada em seus movimentos básicos. Faça uma rosca direta de bíceps com uma pegada reversa, por exemplo. Ou encontre um banco para o movimento de elevação mostrado aqui.

Mude seu treino pelo menos a cada 4 a 6 semanas para obter os melhores resultados.

Treinamento de alta intensidade

Quando você treina forte, você não vai apenas queimar calorias durante o treino. Você vai queimá-los mesmo após a sessão.

Exatamente por quanto tempo e quantas calorias você fritará depois depende em parte da intensidade do seu treino. Mas com o tempo, o efeito pode realmente aumentar.

Coma bem: antes de levantar

Dê a seus músculos o combustível certo. Se você realmente quer ficar rasgado, coma proteínas em todas as refeições e lanches.

Boas fontes são carnes magras, ovos, queijo e leite. Também obtenha carboidratos de grãos inteiros, como aveia, para uma energia duradoura.

Coma um lanche de proteínas e carboidratos antes e depois do treino para manter seu nível de energia alto, construir músculos e queimar mais gordura.

Coma bem: depois de levantar

Obtenha um pouco de proteína assim que puder para ajudar a recuperar os músculos. Inclua também um carboidrato saudável, como frutas. Uma opção rápida é um smoothie feito com proteína em pó ou iogurte e frutas congeladas.

Fique hidratado

Os músculos são cerca de 75% de água, então os líquidos os mantêm saudáveis. Se você não tomar o suficiente, isso pode afetar seu treino, seu foco e sua saúde. A melhor escolha é água simples e sem calorias.

Suplementos para construção muscular

Alguns produtos, como a creatina, são populares entre atletas e fisiculturistas. Mas eles não substituem um bom plano de treinamento e uma dieta para emagrecer adequada.

Se você está pensando em experimentá-los, converse com seu médico primeiro. Ele pode verificar os possíveis efeitos colaterais.

A verdade sobre esteróides

Nunca os leve para construir músculos. É ilegal e pode causar muitos problemas de saúde, incluindo:

  • Acne
  • Crescimento mamário em homens
  • Doença cardíaca
  • Doença hepática

Verificação da realidade

A rapidez com que você cresce depende em parte de seus genes e da idade. Seus pais lhe deram a forma básica do seu corpo e a facilidade que você tem para ficar grande.

Mesmo assim, a maioria dos homens pode melhorar sua massa muscular e força com um bom programa de treinamento com pesos.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Veja dicas para dormir de maneira natural

O que é insônia?

A insônia é uma condição caracterizada pela dificuldade em adormecer ou permanecer dormindo. Não existe uma definição definida de insônia em termos de horas de sono, e a insônia pode ter muitas formas.

Algumas pessoas com insônia podem não ter problemas para adormecer, mas acordam cedo demais. Outras pessoas podem ter o problema oposto, ou têm problemas em adormecer, bem como em permanecer dormindo.

O fator comum é o sono de má qualidade, que não o deixa se sentindo revigorado ao acordar.

O que é insônia transitória?

A insônia temporária dura de uma noite a algumas semanas. Isso pode envolver um único episódio de sono de má qualidade ou não reparador ou episódios recorrentes de insônia separados por períodos de sono normal.

Dormir bem pode inclusive ajudar em sua dieta para emagrecer.

Nos slides a seguir, oferecemos algumas sugestões e dicas destinadas a ajudar a superar a insônia temporária e maximizar suas chances de ter uma noite de sono saudável:

Dica para dormir nº 1

Mantenha o ambiente agradável, confortável e livre-se da desordem e das distrações. Certifique-se de selecionar a cama e o colchão certos para suas necessidades. Um colchão velho ou errado para você pode contribuir para problemas musculoesqueléticos e distúrbios do sono.

Dica para dormir nº 2

Evite usar a cama para TV, trabalho, alimentação ou qualquer outra atividade; use a cama apenas para dormir e fazer sexo.

Se você gosta de usar a cama para ler um pouco à noite, leia apenas livros na cama que promovam relaxamento e diversão.

Dica para dormir nº 3

O "recondicionamento" costuma ser recomendado como parte do plano de tratamento para insônia. Isso significa que você é "recondicionado" para associar a cama ao sono.

Se não conseguir dormir, saia da cama e vá para outro quarto, de modo que você não associe a cama com a vigília. Normalmente, se você não está dormindo após 20-30 minutos na cama, você deve sair da cama e voltar quando estiver cansado.

Durante o tempo fora da cama, você não deve fazer qualquer coisa que possa estimular ou aumentar sua vigília e você deve evitar ligar a TV, computador, telefone celular ou luzes fortes e evitar olhar para o relógio. Volte para a cama quando sentir sonolência.

Dica para dormir nº 4

O estabelecimento de um ciclo vigília-sono regular pode ajudar as pessoas que sofrem de insônia.

Ao fazer isso, o corpo aprenderá a acertar seu relógio interno de acordo com a sua programação, eventualmente respondendo aos sinais internos para ficar com sono em um determinado momento e despertar em um determinado momento.

Levantar-se no mesmo horário todas as manhãs, mesmo nos fins de semana, é uma boa forma de estabelecer esse ciclo regular.

Dica 5 para dormir

Um cochilo à tarde pode dificultar ainda mais o sono à noite, não importa o quão cansado você esteja.

O sono "extra" nos fins de semana também pode atrapalhar sua rotina de sono e tornar a insônia no meio da semana ainda pior. As sestas da tarde devem ser limitadas e curtas (cerca de 20 minutos).

Dica para dormir # 6

Limite o consumo de cafeína à tarde e à noite. Não se esqueça de que chocolate, cacau quente e refrigerantes também são fontes de cafeína.

Dica para dormir nº 7

O consumo excessivo de álcool a qualquer hora do dia também pode perturbar os padrões de sono e levar a um sono insatisfatório.

Não beba qualquer bebida alcoólica nas poucas horas antes de ir para a cama. O tabagismo também pode piorar a insônia.

Dica para dormir # 8

Tente fazer algum exercício durante o dia, mas evite exercícios extenuantes antes de deitar. É preferível fazer exercícios 4-5 horas antes de dormir.

Dica para dormir # 9

Comer pesadamente à noite ou comer pouco antes de deitar pode perturbar seu sono.

Dica para dormir # 10

Pode ser útil estabelecer um ritual de "relaxamento" antes de dormir. O objetivo é libertar sua mente de pensamentos perturbadores ou problemáticos e se envolver em uma atividade relaxante e agradável como ler, assistir a um filme agradável ou ouvir música.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!