Criando filhos em tempos difíceis

Buscando aprimorar a interação entre pais e filhos, Betty Monteiro - psicóloga, psicopedagoda e mãe de quatro filhos - aborda no lilvro "Criando filhos em tempos difíceis" - pela Editora Summus - os benefícios do brincar e explica as brincadeiras preferidas pelas crianças em cada fase do desenvolvimento. Em linguagem fluida, ela nos convida a voltar à infância e a aproveitar melhor o tempo com os pequenos.

Ao longo do livro, dividido em 15 capítulos, Betty aborda as diversas fases do desenvolvimento de bebês e crianças, dá dicas práticas sobre educação e comportamento, sugere inúmeras brincadeiras e fala sobre os desafios de criar filhos hoje. A equipe do "Saúde e Literatura" entrevistou a escritora para saber mais como criar filhos em tempos difíceis. Acompanhe:

1- Qual a sua principal dica para que os pais convivam melhor e de forma saudável com "crianças difíceis" em "tempos difíceis"? A dica é: Saiba ouvir o que o seu filho tem a lhe dizer, mesmo que não concorde com o que ele lhe diz e mostre a ele que o entendeu, mesmo pensando de outra forma. Nunca rotule o seu filho. Um rótulo é uma papel na vida. Ele não sabe quem é. Os adultos é que lhes dizem quem ele é. Cuidado com os rótulos!

2- "Participar mais da infância dos filhos é um ótimo estímulo para a saúde". Qual a importância de uma infância saudável para o desenvolvimento de homens e mulheres mais responsáveis? É na primeira infãncia que se forma a estrutura psíquica do ser humano (até os seis anos). Qual a importância de se ter uma infância feliz? A importância está em se moldar a personalidade deste ser e transforma-lo em um cidadão saudável, que sabe viver respeitando a natureza, os homens e a sociedade. Educamos sendo bons modelos, pois a criança aprende através da imitação e das experiências que vive.

3- "Brincar é o melhor remédio". Em tempos difíceis, como os pais podem investir nas brincadeiras com os filhos? Os pais devem reservar diariamente um espaço do seu tempo, para brincar com o filho. Ensinar as brincadeiras do seu tempo, brincar daquilo que a criança gosta. Sei que existem pais que não gostam e não sabem brincar. Mas se este for o seu caso, busque uma atividade que lhe dê prazer e faça com a criança. Pique papeis, faça coleções, leia para ela, desenhe, busque algo para interagir com o seu filho. Forme um bom vínculo afetivo, pois a criança que tem um forte vínculo com os pais, ficará muito preocupada em decepcioná-lo , terá a autoestima mais elevada e dificilmente buscará as drogas na adolescência.

4 "Resgatar a infância de nossos filhos é investir no futuro da civilização". Como os pais podem contribuir para a felicidade dos filhos em busca de um mundo mais fraterno e menos violento? Educar com firmeza e delicadeza, já é um bom início. resolver as coisas na violência e na agressividade é mostrar ao filho que esta é a forma de lidar com o mundo. Comece a respeitar o seu filho e a ser um bom modelo. Esta é a maneira de mudar um pouco o mundo. Comece pelas suas atitudes dentro de casa. Antes de se queixar do seu filho, olhe para dentrode você!

5- Como evitar impor padrões educacionais, promovendo o desenvolvimento pisiquico dos nossos filhos? Educa-se pelo bom senso. Para não se repetir padrões é preciso questionar se aquilo serve para a sua família. Aja de acordo com o que você sente e pensa. Não busque modelos externos. Eduque o seu filho de acordo com os seus valores e as suas crença. Acredite em seu potencial de educar.

6- Por que você recomenda o livro para os pais? Recomendo o livro para os pais, pois é preciso conhecer aquela criança que temos diante de nós. Os pais estão ausentes e pouco informados. Temos de ler a bula que vem com este filho. E para isto é preciso estudar!!! O conhecimento nos faz educar de forma mais precisa e direcionada.

Fonte: https://www.reportagemsocial.com.br/