De quanta atividade física você realmente necessita?

Para manter a saúde do coração, um pouco de atividade física ajuda muito. A atividade física regular é uma ótima maneira de manter o coração saudável e levar um estilo de vida saudável. Mas se você não estiver ativo agora, não se preocupe, você não precisa embarcar repentinamente em um programa de treinamento olímpico.

Nossas recomendações

Recomendamos que os adultos devem acumular pelo menos 150 minutos de atividade física aeróbica de intensidade moderada a vigorosa por semana, em sessões de 10 minutos ou mais.

A atividade não precisa ser ininterrupta, como uma aula de aeróbica. Você pode fazer 10 minutos ou mais por vez ao longo do dia para atingir seu total diário. Por exemplo, faça uma caminhada rápida de 10 minutos durante a hora do almoço, brinque por 10 minutos com seus filhos depois do trabalho e depois passe outros 15 minutos passeando com o cachorro à noite.

Se você tiver pouco tempo, lembre-se de que qualquer atividade física é melhor do que nada. No entanto, quanto mais ativo você for, maiores serão os benefícios para a saúde.

O bônus: a atividade física lhe dará mais energia e o ajudará a lidar melhor com sua semana agitada. 

Os adultos mais velhos devem adicionar atividades de fortalecimento muscular e óssea usando os principais grupos musculares, pelo menos, dois dias por semana para melhorar o equilíbrio e prevenir quedas.

Assim como uma variedade de alimentos é importante para uma alimentação saudável, uma variedade de atividades é importante para uma vida saudável. Escolha atividades físicas que exijam resistência, força e flexibilidade.

  • As atividades de resistência são atividades contínuas, como caminhada, ciclismo e tênis. Eles são especialmente benéficos para o coração, pulmões e sistema circulatório.
  • Atividades de força , como carregar mantimentos (ou crianças), trabalho pesado no quintal ou treinamento com pesos, fortalecem músculos e ossos e melhoram a postura. Faça pelo menos duas vezes por semana.
  • Atividades de flexibilidade , como alongamento, ioga, trabalho doméstico ou golfe, mantêm os músculos relaxados e as articulações móveis. A flexibilidade aumentada mais tarde na vida permitirá que você continue amarrando os sapatos, alcance a prateleira de cima da cozinha e prenda as unhas dos pés.
  • As atividades de equilíbrio que você pode fazer em casa incluem ficar em um pé só ou na ponta dos pés enquanto se segura nas costas de uma cadeira. Conforme você avança, estabilize-se com um dedo e tente sem as mãos. Quando você estiver realmente estável, tente o exercício com os olhos fechados. Ioga e tai chi também são bons para o seu equilíbrio, juntamente com quaisquer exercícios que fortaleçam a parte inferior do corpo.

Certifique-se de variar sua atividade de esforço leve, moderado e vigoroso. Aqui estão algumas sugestões:

Esforço leve

  • caminhada leve
  • voleibol
  • jardinagem fácil ou forrageamento
  • alongamento

Esforço Moderado

  • breve passeio
  • andar de bicicleta
  • ajuntando folhas
  • natação
  • dançando
  • aeróbica aquática

Esforço Vigoroso

  • aeróbica
  • basquetebol
  • natação rápida
  • dança rápida
  • hóquei
  • corrida

Você nunca está velho demais para fortalecer seu corpo! Estudos descobriram que o treinamento com pesos pode reverter a fraqueza muscular mesmo entre pessoas na faixa dos 90 anos.

Uma dieta para emagrecer com a quantidade de atividade física necessária e recomendada trará resultados incríveis para você!

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Aprenda a reduzir o açúcar de seu cotidiano

O açúcar é encontrado em muitos alimentos, tanto naturalmente quanto adicionado. O açúcar fornece energia (calorias), mas não tem valor nutricional por si só.

Açúcares são frequentemente adicionados aos alimentos processados para melhorar seu sabor, cor, textura e prazo de validade.

O açúcar vem em várias formas: açúcar branco, açúcar mascavo, melaço, mel, xarope de bordo e adoçantes de milho.

Pode ser listado na lista de ingredientes nos rótulos dos alimentos como:

  • glicose
  • frutose
  • dextrose
  • maltose
  • sacarose.

Todos os diferentes tipos de açúcares são agrupados na lista de ingredientes para tornar mais fácil ver a quantidade de açúcar em um alimento.

Se os açúcares estiverem listados como primeiro ou segundo ingrediente no rótulo de um alimento, é provável que o alimento seja rico em açúcar.

Alguns alimentos que contêm açúcar naturalmente, como vegetais, frutas e leite, são uma parte importante de uma dieta saudável, porque também contêm nutrientes importantes.

Todos os outros açúcares são chamados de “açúcares livres”. Açúcares livres são açúcares adicionados a produtos alimentícios e açúcar naturalmente presente no mel, xaropes, sucos de frutas e purês.

Os açúcares livres fornecem pouco ou nenhum valor nutricional.

Como o açúcar afeta nossa saúde?

Consumir muito açúcar está associado a doenças cardíacas, derrame, obesidade, diabetes , colesterol alto , câncer e cáries.

Quanto açúcar devemos comer?

A Heart & Stroke recomenda que você não consuma mais do que 10% do total de calorias por dia dos açúcares adicionados e, idealmente, menos do que 5%.

isto é, para uma dieta média de 2.000 calorias por dia, 10% é cerca de 48 gramas (ou 12 colheres de chá) de açúcares adicionados.

Uma lata de refrigerante contém cerca de 85% (ou aproximadamente 10 colheres de chá) de açúcar adicionado diariamente.

Alimentos que contêm açúcar naturalmente, como vegetais, frutas e leite, devem ser incluídos em uma dieta saudável em quantidades razoáveis.

Os alimentos com alto teor de açúcar livre incluem:

  • Bebidas adocicadas frias e quentes, como refrigerantes, energéticos, refrigerantes com sabor de frutas, sucos de frutas, bebidas esportivas, chocolate quente e cafés especiais.
  • Produtos de panificação e sobremesas como bolos, doces, chocolates, biscoitos, donuts, sorvetes, muffins, tortas e tortas.

Você está bebendo muito açúcar?

Muitas bebidas populares têm mais da metade da ingestão diária recomendada de açúcar.

Para uma dieta média de 2.000 calorias por dia, 10% equivalem a cerca de 12 colheres de chá.

Dicas para reduzir a ingestão de açúcar

1. Não beba calorias.

Evite bebidas açucaradas.

Em vez disso, beba água quando estiver com sede. Leite desnatado e sem açúcar também é uma boa maneira de matar a sede.

  • Para manter as coisas interessantes, tempere sua água com fatias de limão, laranja ou lima, morangos ou hortelã fresca.
  • Evite refrigerantes e bebidas esportivas. Eles são ricos em açúcar e não têm nenhum valor nutricional (por isso são chamados de “calorias vazias”).
  • Evite o suco de fruta, mesmo que seja 100% suco de fruta. Embora o suco de fruta tenha alguns dos benefícios da fruta (vitaminas, minerais), tem mais açúcar do que a fruta e menos fibras. O suco de fruta não deve ser consumido como alternativa às frutas. Os canadenses devem comer suas frutas, não bebê-las.
  • Fique longe de bebidas quentes elegantes com açúcares grátis. Peça um latte em vez de um café mocha. Adicione coberturas de noz-moscada e canela para um sabor extra, em vez de adicionar açúcar.

2. Experimente alimentos integrais.

Alimentos integrais são itens que permanecem próximos ao seu estado natural, tanto quanto possível, com pouco processamento. Os exemplos são: frutas e vegetais frescos ou congelados, aves e peixes, feijão, lentilha ou tofu, arroz integral, cuscuz de trigo integral, cevada, pães integrais, leite desnatado simples, iogurte natural e queijos.

3. Coma de maneira sensata.

Abasteça-se de nozes torradas, queijo e biscoitos com baixo teor de gordura e baixo teor de sódio, vegetais e molho, e iogurte natural com frutas frescas.

Reduza a quantidade de produtos assados, sobremesas doces, balas e chocolates que você come.

4. Coma cereais com baixo teor de açúcar.

Escolha cereais com menos de 6 gramas de açúcar e mais de 4 gramas de fibra por porção de 1 xícara (30 gramas).

5. Cozinhe em casa com mais frequência.

Selecione receitas com baixo teor de açúcar. Confira nossa seção de receitas   para uma grande variedade de receitas deliciosas.

Além disso, você pode experimentar suas receitas favoritas, reduzindo a quantidade de açúcar adicionado às suas receitas em um quarto a um terço.

6. Leia a tabela de informações nutricionais e a lista de ingredientes dos alimentos embalados.

Preste atenção especial ao tamanho da porção, quantidade total de açúcar e leia a lista de ingredientes.

A tabela de informações nutricionais informará a quantidade total de açúcar no produto (tanto dos açúcares naturais quanto dos adicionados) e a lista de ingredientes permitirá que você saiba de onde vem o açúcar.

Produtos com adição de açúcares, como glicose, frutose, sacarose, mel, suco de cana evaporado, purê de frutas, melaço, xarope de milho, dextrose, suco de fruta concentrado não fornecem benefícios nutricionais - minimize ou remova esses itens de sua lista de compras.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

 

5 Dicas de Decoração para Sua Cozinha

A cozinha é um dos ambientes onde a família e amigos gostam de se reunir, não apenas para fazer as refeições, mas para conversar, e por isso mesmo que deve ser prática e acolhedora.

Só que, às vezes, as pessoas ficam em dúvida quando o assunto é decoração. E a nossa empresa de administração de condomínios, até pelo nosso trabalho diário, estamos sempre em contato com decoradores de apartamentos. enter image description here

E assim, reunimos para você 5 dicas super simples para decorar a sua cozinha que vão dar aquele toque todo especial, e melhor, sem gastar muito.

A cozinha deve ser um ambiente bem acolhedor

Quando vamos decorar nossas casas, a cozinha é uma das grandes preocupações. Isso porque as pessoas querem que seja prática e ao mesmo tempo, um lugar onde as pessoas se reúnem com mais frequência.

Você já percebeu que hoje as pessoas buscam por um conceito aberto, onde a cozinha integre a sala de jantar com a de estar.

Assim, enquanto estamos cozinhando, todos estão participando.

Então, se você ainda não sabe como decorar sua cozinha, veja agora algumas dicas que talvez lhe sirvam de inspiração.

5 dicas de decoração para sua cozinha

Como a cozinha é um dos principais cômodos de uma casa, é importante que seja bem equipada, mas também prática e simples.

Além disso, até mesmo por conta de apartamentos menores, é essencial aproveitar todos os espaços, de forma que seja funcional. Confira agora 5 dicas de decoração para sua cozinha:

1 Buscar pela funcionalidade

Até pela correria do dia a dia, a dica é buscar por uma cozinha que seja funcional, onde tudo o que você precisa esteja à mão, assim como eletrodomésticos acessíveis e tudo fácil de limpar.

Por exemplo, um armário perto do fogão com utensílios que você usa diariamente, como panelas e tigelas, ou móveis que não impeçam a circulação.

2Aposte em prateleiras

Dependendo do tamanho da cozinha, aposte em prateleiras, pois assim fica com mais espaço para trabalhar.

E uma outra dica é instalar perto da pia ganchos, onde você poderia pendurar espátulas, peneiras, enfim, itens essenciais em uma cozinha.

3Realce algum item

Para dar um toque diferente, escolha um item que se sobressaia na sua cozinha, como um estofado para as cadeiras mais coloridos ou uma parede com nichos decorativos.

A ideia aqui é continuar com a simplicidade, mas levantar de alguma forma o ambiente.

4Adesivos decorativos

Hoje em dia, existem no mercado vários desenhos de adesivos decorativos, que além de compor muito bem a cozinha, são super fáceis de colocar, e muitos vêm no tamanho certo do azulejo.

De repente, coloque alguns na parede da bancada da pia ou atrás do fogão. Basta escolher um motivo que combine com a sua cozinha. Aqui também vale as pastilhas, que proporcionam mais cor.

5Repagine móveis

Uma outra dica é pegar móveis antigos e dar uma repaginada, e você mesmo pode fazer.

Talvez você tenha uma mesa mais escura, e pode aplicar uma técnica para deixá-la mais clara e com novo visual.

Aqui o que conta é a sua criatividade para transformar móveis antigos em novos e únicos.

Essas foram apenas algumas dicas de decoração para sua cozinha, e podem servir de inspiração para você deixar a sua cozinha com a sua cara e que atenda a tudo o que precisa.

IDENTIFICANDO OS PROBLEMAS PADRÃO DA EMBREAGEM E SUAS CAUSAS

Resolver quaisquer problemas com o seu veículo não é apenas algo que um mecânico profissional pode fazer. Você pode pensar que não pode fazer isso porque não está 100% familiarizado com todos os sistemas do veículo. No entanto, você pode resolver certos problemas com o carro.

enter image description here

Por exemplo, ao tentar descobrir a causa do problema, conduza um processo de eliminação onde você investiga a causa mais provável primeiro. Se esta não for a causa, investigue gradualmente as diferentes áreas que são provavelmente a causa, até chegar às áreas muito complicadas. Ao fazer isso, você será capaz de descobrir a causa do problema sozinho.

Se você tem um carro com transmissão manual, há várias maneiras de descobrir o problema que pode estar tendo com a embreagem. Quer você tenha um sistema mecânico ou uma combinação de um sistema mecânico e hidráulico, será simples de entender. Você só precisa ter conhecimento das partes do sistema e da natureza de suas interações entre si. Depois de entender isso, você será capaz de encontrar o problema e corrigi-lo facilmente.

Uma embreagem para de funcionar corretamente de uma das duas maneiras. Ele não será capaz de se desencaixar ou não será capaz de se encaixar completamente.

A embreagem não desengata

Se você normalmente dirige seu veículo pela cidade e o utiliza para se deslocar com frequência, então está constantemente usando o pedal da embreagem. Na verdade, você o usará a cada dois segundos. Mas se você notar que o veículo está avançando depois que você pressiona o pedal da embreagem, há um problema.

Se houver uma peça que está desgastada ou não funciona dentro do sistema, a embreagem irá parar de funcionar completamente. Em alguns casos, porém, a embreagem pode funcionar mal lentamente durante um período de tempo.

Abaixo está uma lista de possíveis motivos para a embreagem falhar repentinamente. Cada motivo terá uma causa diferente. Se você puder descobrir essa causa, será mais fácil consertar o problema.

  • A ligação está solta ou quebrada. O cabo da embreagem está solto ou quebrado.
  • O cilindro mestre hidráulico falhou. A linha hidráulica está vazando.

  • O rolamento de saída não se encaixa corretamente na placa de pressão.

  • Detritos estranhos estão contaminando o disco.

Abaixo está uma lista de motivos para a falha gradual da embreagem.

  • O cabo está esticado. A articulação está dobrada. O cilindro mestre

    está falhando. Não há fluido hidráulico suficiente. A transmissão ou o suporte do motor estão danificados ou quebrados.

Engate de embreagem impróprio

Engate incorreto da embreagem , isso significa que o disco de fricção da placa de pressão está gasto e não tem mais tensão. Normalmente, quando você pressiona o pedal da embreagem, isso faz com que a mola do diafragma empurre o disco de fricção em direção ao volante do sistema.

Mas se houver pressão fraca vindo da mola ou se houver muita distância entre as peças, será criada uma quantidade insuficiente de atrito. Como resultado, a potência do motor não pode ser enviada para a transmissão. É comum que os discos de fricção se tornem mais finos e desgastados.

Quanto mais você usa o veículo, mais fracas ficam as molas com o tempo. É por isso que uma embreagem Falhando(defeituosa) poderá acontecer com qualquer motorista de um veículo com transmissão manual. Se sua embreagem (não engatar) não gerar atrito ao pisar no pedal, isso normalmente significa que há vazamento de óleo. Ou isso ou as superfícies de fricção foram contaminadas com detritos ou corrosão.

Abaixo está uma lista dos motivos pelos quais a embreagem não engata.

  • A corrosão no cabo ou ligação está causando emperramento.
  • A articulação está dobrada.
  • Cilindro escravo emperrado.
  • O rolamento de projeção emperrou.
  • O diafragma da placa de pressão parou de funcionar.
  • A placa de fricção não está funcionando.

Abaixo está uma lista dos motivos pelos quais a embreagem (não engata )enquanto há uma carga pesada.

  • A ligação ou o cabo não está ajustado corretamente.

  • A placa de fricção se desgasta com o uso constante ao longo do tempo.

  • O escorregamento fez com que as superfícies de fricção ficassem vitrificadas.

  • A superfície de fricção do volante está desgastada.

  • As molas do diafragma da placa de pressão estão ficando mais fracas.

  • A vedação principal traseira do motor está vazando.

  • A vedação do eixo de entrada da transmissão está vazando.

  • O volante ou placa de pressão está superaquecido ou empenado.

Vale lembrar que havendo problema em que você fique impossibilitado de seguir viagem com o seu carro basta ligar para uma empresa confiável de reboque para ir te socorrer, eu indico a Reboque RJ, pelo atendimento rápido e confiável, não somente isto ela tb possui parceiros pela cidade que pode por exemplo caso seu carro tenha sofrido avaria te levar a um martelinho de ouro direto com seu reboque por exemplo.

Todos os outros problemas possíveis com a embreagem

Além de ter problemas com o desengate e engate, sua embreagem pode ter outros problemas também. Seu engate pode causar vibração ou pode haver muito ruído durante sua operação.

Se você tiver ligações mecânicas mais antigas, será necessário lubrificá-las periodicamente. Caso contrário, os cabos ou pivôs prenderão ou você poderá pressionar o pedal da embreagem e ele não se moverá tão suavemente quanto deveria.

Este problema não prejudicará necessariamente a sua capacidade de condução, mas será muito incômodo ouvir estes ruídos enquanto conduz. Se você resolvesse este problema, teria que retirar sua transmissão para acessar as peças em questão.

Conheça os efeitos colaterais de uma Dieta Cetogênica

A dieta cetônica se transformou em um plano alimentar ultrabaixo em carboidratos que pode ajudá-lo a perder peso rapidamente - mas seus efeitos no corpo vão além da perda de peso.
 
Uma dieta para emagrecer cetônica típica é composta de 80% de gordura, 15% de proteína e meros 5% de calorias de carboidratos.
 
Se você consumir 2.000 calorias por dia, isso significa que apenas 100 delas vêm de carboidratos - incluindo carboidratos saudáveis como frutas e vegetais.
 
Quando você come dessa forma, ela provoca cetose , o que significa que seu corpo queimou todos os carboidratos e precisa começar a queimar gordura para obter energia. 


É verdade: seguir um regime estrito de alto teor de gordura e baixo teor de carboidratos pode ajudar a mover o número na escala, mas pode haver alguns outros efeitos colaterais da dieta cetônica dos quais você não está ciente.

Alguns deles são positivos, mas alguns podem ser desagradáveis - ou mesmo perigosos. Aqui está o que você deve saber sobre os perigos da dieta ceto antes de decidir experimentá-la.

Você pode ser atingido pela "gripe cetônica"

A gripe ceto é uma coisa real. Cortar os carboidratos até os ossos e entrar em um estado de cetose (onde seu corpo queima gordura para obter energia) pode causar uma série de sintomas desconfortáveis, como dores de cabeça, fadiga, dores musculares, náuseas e diarreia.

Os efeitos colaterais são o resultado da transição do seu corpo para o uso de gordura como sua fonte primária de energia em vez de carboidratos, explica Kristen Mancinelli, MS, RDN , autora de The Ketogenic Diet.

Assim que ele se adaptar à nova fonte de combustível (geralmente em uma ou duas semanas), você começará a se sentir melhor.

Você pode se sentir mal-humorado

Quando você está em uma dieta baixa em carboidratos, pode não estar recebendo os carboidratos necessários para produzir serotonina, uma substância química do cérebro que ajuda a regular o humor, bem como o sono e o apetite - dois outros fatores que podem interferir na sua disposição, diz Laura Iu, RD, nutricionista e terapeuta nutricional certificado como conselheiro alimentar intuitivo baseado na cidade de Nova York.

Seus comportamentos alimentares podem mudar

Cortar carboidratos pode fazer com que o cérebro libere uma substância química chamada neuropeptídeo-Y (NPY), que diz ao corpo que precisamos de carboidratos; quando não obtemos os carboidratos de que nosso corpo precisa, essa substância química se acumula e pode intensificar os desejos, o que pode aumentar o risco de desenvolver padrões alimentares desordenados, como a compulsão alimentar, diz Iu.
 
“Não tem nada a ver com não ter 'força de vontade' suficiente, tem mais a ver com a resposta biológica do corpo à privação”, diz ela.

A perda de peso inicial pode voltar

A dieta cetônica é famosa por proporcionar um emagrecimento inicial rápido. Isso porque os carboidratos retêm mais água do que proteínas ou gordura, diz Becky Kerkenbush, RD, nutricionista clínica do Centro Médico Regional de Watertown.
 
Então, quando você para de comê-los, todo aquele H2O extra é liberado através da micção.
 
Como resultado, a escala pode mostrar alguns quilos abaixo e você pode parecer um pouco mais magro.
 
Essa primeira gota pode ser principalmente de peso de água. Mas a pesquisa sugere que a dieta cetônica também é boa para a perda de gordura.
 
Um estudo italiano com quase 20.000 adultos obesos descobriu que os participantes que comeram ceto perderam cerca de 5 quilos em 25 dias. No entanto, não há muitos estudos avaliando se os quilos permanecerão baixos por muito tempo, observam os pesquisadores.
 
A maioria das pessoas acha difícil seguir um plano alimentar tão rígido e, se você sair da dieta, os quilos podem facilmente voltar.

A constipação pode estar ao virar da esquina

A constipação é um efeito colateral comum dos planos alimentares de baixo teor de carboidratos, incluindo a dieta cetogênica.
 
Reduzir severamente a ingestão de carboidratos significa dizer adeus aos alimentos ricos em fibras, como grãos inteiros, feijão e uma grande proporção de frutas e vegetais, diz Ginger Hultin, MS, RDN, nutricionista de Seattle e porta-voz da Academia de Nutrição e Dietética.
 
Combine isso com o fato de que seu corpo está excretando mais água e você terá uma receita potencial para canos entupidos.
 
Você pode manter as coisas em movimento obtendo algumas fibras de alimentos ceto-amigáveis, como abacate, nozes e porções limitadas de vegetais e frutas sem amido, diz David Nico, Ph.D., autor de Diet Diagnosis . Aumentar a ingestão de água também ajuda. 

Ou você pode ter diarreia

"Quando comemos alimentos com gordura, nosso fígado libera bile no sistema digestivo para ajudar a quebrá-la. Seguir uma dieta rica em gordura como o ceto significa que o fígado precisa liberar bile extra - e a bile é um laxante natural, então muito pode se soltar fezes e acelera a velocidade com que se movem pelo seu sistema, levando à diarreia ", diz Iu.

Há também um efeito colateral chamado "respiração ceto"

Quando seu corpo entra em cetose, ele começa a produzir subprodutos chamados cetonas. Isso inclui acetona - sim, o mesmo produto químico encontrado no removedor de esmalte, que seu corpo realmente faz por conta própria, de acordo com uma revisão de 2015 da pesquisa.
 
"Uma das maneiras pelas quais as cetonas são liberadas do corpo é através da expiração, e o hálito geralmente tem um odor distinto, diferente do mau hálito comum experimentado quando há um acúmulo de bactérias na boca", diz Iu.

Você provavelmente estará com sede o tempo todo

Não se surpreenda se ficar ressecado durante a dieta cetônica. Excretar toda aquela água a mais provavelmente aumentará a sede - então, beba um pouco, aconselha Mancinelli.

Não há recomendação rígida e rápida para a quantidade de água que você deve ingerir em uma dieta cetônica. Mas, em geral, tente beber o suficiente para que a urina fique límpida ou amarela pálida . Se estiver mais escuro, aumente sua ingestão. 

O resultado final?

Comer uma dieta cetônica pode ter algumas vantagens de saúde de curto prazo. Mas, a longo prazo, também tem o potencial de criar alguns problemas graves de saúde.
 
É por isso que muitos especialistas dizem que você não deve tentar sozinho. “Em geral, se uma pessoa segue uma dieta cetogênica, ela deve fazê-lo apenas por um breve período e sob supervisão médica rigorosa”, diz Hultin.
 
E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?
 
Conte a nós, comente abaixo!
 
Até a próxima! 
 

Fibromialgia: sintomas, causas e tratamentos

A fibromialgia é uma síndrome comum e crônica que causa dor corporal e sofrimento mental.

Os sintomas da fibromialgia podem ser confundidos com os da artrite ou inflamação das articulações.

No entanto, ao contrário da artrite, não se descobriu que causa inflamação e danos nas articulações ou músculos.

É vista como uma condição reumática, ou seja, que causa dor em partes moles ou miofascial.

De acordo com o Instituto Nacional de Artrite e Doenças Musculoesqueléticas e de Pele (NIAMS), cerca de 5 milhões de adultos com 18 anos ou mais nos Estados Unidos sofrem de fibromialgia, e 80 a 90% dos pacientes com fibromialgia são mulheres.

Fatos rápidos sobre a fibromialgia:

Aqui estão alguns pontos-chave sobre a fibromialgia. Mais detalhes estão no artigo principal.

  • A fibromialgia causa dor generalizada, fadiga e outros tipos de desconforto.
  • Os sintomas se assemelham aos da artrite, mas a fibromialgia afeta os tecidos moles, não as articulações.
  • A causa é desconhecida, mas os fatores de risco incluem lesão traumática, artrite reumatóide e outras doenças autoimunes, como lúpus , e fatores genéticos.
  • Não há cura, mas medicamentos, exercícios, acupuntura e terapia comportamental podem ajudar a aliviar os sintomas e melhorar a qualidade do sono.

Sintomas

Compartilhe no Pinterest A fibromialgia pode causar dor generalizada, problemas de sono e outros sintomas.

Os sintomas comuns incluem :

  • dor generalizada
  • dor e rigidez na mandíbula
  • dor e cansaço nos músculos faciais e tecidos fibrosos adjacentes
  • articulações e músculos rígidos pela manhã
  • dores de cabeça
  • padrões de sono irregulares
  • síndrome do intestino irritável (IBS)
  • períodos menstruais dolorosos
  • formigamento e dormência nas mãos e pés
  • síndrome das pernas inquietas (RLS)
  • sensibilidade ao frio ou calor
  • dificuldades de memória e concentração, conhecidas como “fibro-névoa”
  • fadiga

O seguinte também é possível:

  • problemas de visão
  • náusea
  • problemas pélvicos e urinários
  • ganho de peso
  • tontura
  • sintomas de resfriado ou gripe
  • problemas de pele
  • sintomas no peito
  • depressão e ansiedade
  • problemas respiratórios

Os sintomas podem aparecer a qualquer momento durante a vida de uma pessoa, mas são mais comumente relatados por volta dos 45 anos de idade.

Tratamento

Compartilhe no Pinterest Cerca de 20 por cento das pessoas com fibromialgia tentam acupuntura nos primeiros 2 anos. Pode funcionar, mas são necessárias mais pesquisas.

É necessária atenção médica porque a fibromialgia pode ser difícil de controlar.

Por se tratar de uma síndrome, cada paciente apresentará um conjunto diferente de sintomas, sendo necessário um plano de tratamento individual.

O tratamento pode incluir alguns ou todos os seguintes:

  • um programa de exercícios ativos
  • acupuntura
  • psicoterapia
  • terapia de modificação de comportamento
  • cuidados quiropráticos
  • massagem
  • fisioterapia
  • antidepressivos de baixa dosagem, embora não sejam um tratamento de primeira linha

Pessoas com fibromialgia precisam trabalhar com seu médico para chegar a um plano de tratamento que forneça os melhores resultados.

Drogas

Medicamentos podem ser recomendados para tratar certos sintomas.

Estes podem incluir analgésicos de venda livre (OTC).

No entanto, a Liga Europeia contra o Reumatismo (EULAR) emitiu uma recomendação contra o uso de medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) para tratar a fibromialgia em suas diretrizes atualizadas de 2016. Antidepressivos, como duloxetina ou Cymbalta e milnacipran ou Savella, podem ajudar a reduzir a dor.

Podem ser prescritos medicamentos anticonvulsivos, como gabapentina, também conhecida como Neurontin, e pregabalina, ou Lyrica .

No entanto, uma revisão sugeriu que os pacientes freqüentemente param de usar esses medicamentos porque eles não são eficazes no alívio da dor ou por causa de seus efeitos adversos.

Os pacientes devem informar o médico sobre quaisquer outros medicamentos que estejam tomando para evitar efeitos colaterais e interações com outros medicamentos.

Exercício

Uma combinação de exercícios aeróbicos e treinamento de resistência, ou treinamento de força, tem sido associada à redução da dor, sensibilidade, rigidez e distúrbios do sono em alguns pacientes.

Se o exercício estiver ajudando com os sintomas, é importante manter a consistência para ver o progresso.

Treinar com um parceiro ou personal trainer pode ajudar a manter o programa de exercícios ativo.

Acupuntura

Alguns pacientes experimentaram melhorias em sua qualidade de vida após o início da terapia de acupuntura para fibromialgia.

O número de sessões necessárias dependerá dos sintomas e de sua gravidade.

Um estudo descobriu que 1 em cada 5 pessoas com fibromialgia usa acupuntura 2 anos após o diagnóstico. Os pesquisadores concluíram que pode melhorar a dor e a rigidez.

No entanto, eles exigem mais estudos.

Terapia de modificação de comportamento

A terapia de modificação de comportamento é uma forma de terapia cognitivo-comportamental (TCC) que visa reduzir comportamentos negativos, que aumentam o estresse ou a dor, e melhorar comportamentos positivos e conscientes. Inclui a aprendizagem de novas habilidades de enfrentamento e exercícios de relaxamento.

Causas

A causa exata da fibromialgia não é clara. No entanto, o pensamento atual no campo da reumatologia sugere que a fibromialgia é um problema com o processamento central da dor no cérebro, onde pode haver um aumento da sensibilidade ou percepção da dor a um determinado gatilho.

Há uma série de fatores de risco prováveis, incluindo:

  • um evento físico ou emocional estressante e traumático, como um acidente de carro
  • lesões repetitivas
  • artrite reumatóide ou outras doenças autoimunes, como lúpus
  • problemas do sistema nervoso central (SNC)
  • a forma como nossos genes regulam como processamos estímulos dolorosos
  • excesso de peso

A fibromialgia também pode ser hereditária. Mulheres que têm um parente próximo com fibromialgia têm maior risco de sofrerem disso.

Pessoas que estão acima do peso precisam buscar emagrecer com saúde para diminuirem os efeitos da fibromialgia.

Pessoas com artrite reumatóide, lúpus ou artrite espinhal, conhecida como espondilite anquilosante, têm um risco maior de desenvolver fibromialgia, assim como os pacientes com outras doenças reumáticas.

Diagnóstico

A confirmação do diagnóstico de fibromialgia pode demorar algum tempo, porque os sintomas se assemelham aos de outras doenças, como o hipotireoidismo . Essas condições devem ser descartadas antes de diagnosticar a fibromialgia.

Não há exames laboratoriais para a doença e isso também pode levar a um diagnóstico tardio ou perdido.

O American College of Rheumatology estabeleceu três critérios para o diagnóstico de fibromialgia.

  1. dor e sintomas na semana anterior, de 19 partes do corpo identificadas, além de níveis de fadiga, sono insatisfatório ou problemas cognitivos
  2. sintomas que estão em curso há pelo menos 3 meses
  3. nenhuma presença de outro problema de saúde que explicasse os sintomas

Anteriormente, 'pontos sensíveis' eram usados para diagnosticar a condição. No entanto, eles não são mais recomendados para auxiliar no diagnóstico de fibromialgia.

 

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Alimentos sem glúten: lista do que evitar e alternativas

Alimentos sem glúten: lista do que evitar e alternativas

  • Alimentos com glúten
  • Quanto é seguro?
  • Alternativas
  • Outras considerações
  • Resumo

Pessoas com doença celíaca devem evitar alimentos que contenham glúten. Outras pessoas podem fazer isso porque têm sensibilidade ou intolerância a esse grupo de proteínas.

Abaixo, qualquer pessoa que esteja em uma dieta sem glúten ou que pretenda reduzir sua ingestão de glúten pode encontrar listas de alimentos a evitar e alternativas a considerar.

Alimentos que contêm glúten 

É compreensível que as pessoas associem o glúten a grãos, mas uma variedade de outros alimentos, bebidas e produtos, como suplementos, podem contê-lo.

Grãos que contêm glúten

  • trigo
  • centeio
  • cevada
  • triticale, um híbrido de trigo e centeio
  • seitan, que muitas vezes é usado como um substituto de carne
  • variedades e derivados de trigo, como: espelta , durum, cuscuz, semolina, farina, farro, kamut, einkorn, bagas de trigo, bulgur, farelo de trigo, amido de trigo, gérmen de trigo, emmer e farinha de graham

Alimentos que geralmente contêm glúten

  • pães , incluindo bagels, pão sírio e pita
  • massas e alguns outros noodles
  • bolos, biscoitos e biscoitos
  • tortas e doces
  • alguns cereais matinais
  • migalhas de pão e revestimentos
  • muitos substitutos de carne
  • maltes, como extrato de malte, xarope, aromatizante ou vinagre
  • levedura de cerveja

Alimentos que podem conter glúten

Confira a lista de ingredientes ou pergunte em um restaurante antes de consumir:

  • batatas fritas
  • molhos e molhos
  • molhos para salada, marinadas e vinagres
  • sopas
  • Carnes processadas
  • molho de soja
  • batata ou tortilla chips
  • bares e lanches semelhantes
  • cereais e granolas
  • recheios
  • pratos de ovos em restaurantes

Bebidas alcoólicas

As bebidas alcoólicas que contêm glúten incluem:

  • cervejas
  • ales
  • lagers
  • bebidas de malte
  • vinhos de sobremesa
  • refrigeradores de vinho

No entanto, variedades sem glúten de muitas dessas bebidas estão disponíveis. Além disso, a maioria das bebidas alcoólicas destiladas não contém glúten.

Itens não alimentares

É importante observar que os seguintes produtos também podem conter glúten:

  • medicamentos, vitaminas e suplementos de ervas
  • batons e protetores labiais, que uma pessoa pode ingerir facilmente
  • massa de brincar, o brinquedo
  • wafers de comunhão

Contaminação cruzada

Alguns alimentos sem glúten entram em contato com o glúten durante o preparo ou processamento - tornando-os potencialmente inadequados para pessoas com doença celíaca.

As áreas comuns de contaminação cruzada incluem:

  • tábuas de cortar, torradeiras e utensílios
  • recipientes de comida compartilhados, que podem conter manteiga, maionese ou manteiga de amendoim , por exemplo
  • restaurantes, como pizzarias
  • em qualquer lugar onde os alimentos são fritos
  • padarias
  • instalações de produção de aveia

Quanto glúten é seguro?

Para pessoas com doença celíaca, a pesquisa sugere que o limite usual para o consumo de glúten é de 10 miligramas (mg) por dia.

Fazer uma dieta com um teor de glúten de 20 partes por milhão (ppm) deve colocar a maioria das pessoas abaixo do limite de 10 mg. A quantidade de glúten nos alimentos varia muito. Os produtos “ sem glúten ” devem conter menos de 20 ppm de glúten, de acordo com uma decisão da Food and Drug Administration (FDA) . Isso significa que para atingir o limite diário de 10 mg, uma pessoa teria que comer 17 fatias de pão sem glúten , se cada fatia contivesse 20 ppm. Ou, para fins de contexto, eles poderiam comer uma quantidade de farinha normal do tamanho da ponta de uma caneta.

Embora o FDA tenha estabelecido diretrizes sobre a quantidade de glúten que muitos dos chamados produtos sem glúten podem conter, não há regras para bebidas alcoólicas ou carnes, aves ou certos produtos de ovo, que são regulamentados de forma diferente.

Como resultado, quem quer limitar a ingestão de glúten precisa verificar os rótulos com cuidado e consultar os funcionários dos restaurantes.

Além do mais, consumir menos glúten auxilia no processo de desintoxicação do seu organismo.

Assim como detox caps faz.

Detox caps funciona como importantes cápsulas desintoxicadoras do seu organismo de gorduras e toxinas desnecessárias.

Alternativas ao glúten

A seguir estão algumas alternativas aos produtos que contêm glúten:

  • trigo sarraceno , como sêmola ou farinha
  • quinua , como grão ou farinha
  • arroz , em grão ou farinha
  • farinha de batata
  • farinha de soja
  • farinha de grão de bico , às vezes chamada de farinha de grama ou besan
  • milho , de amido de milho a cascas de taco
  • Amaranto
  • painço
  • aveia , mas apenas aqueles rotulados sem glúten
  • sorgo
  • mandioca
  • tapioca
  • massas feitas de lentilhas , ervilhas, milho, arroz ou trigo sarraceno
  • pães, tortas, wraps e doces sem glúten
  • couve-flor , como base de pizza, por exemplo
  • macarrão de abobrinha, cenoura ou abóbora

Pessoas em dietas sem glúten também podem desfrutar de pratos que não se assemelham aos que contêm glúten e são ricos em vegetais, frutas, feijão e leguminosas.

Celíaco vs. sensibilidade

A doença celíaca é um sério problema de saúde. Faz com que o sistema imunológico ataque o intestino, e o dano resultante ao revestimento intestinal pode impedir o corpo de absorver nutrientes suficientes.

Para uma pessoa com essa condição, é crucial evitar todo o glúten e tomar precauções contra a contaminação cruzada.

Outras pessoas apresentam problemas de saúde causados pela ingestão de glúten, mas não se enquadram nos critérios de diagnóstico da doença celíaca. Nesse caso, o médico pode diagnosticar intolerância ao glúten ou sensibilidade ao glúten não celíaca.

Se alguém não tiver certeza se tem alergia ou intolerância ao glúten, pode tentar eliminar os alimentos que contêm glúten de sua dieta, para testar se os sintomas melhoram. Se após a reintrodução do glúten na dieta, os sintomas retornarem, este é um bom indício de sensibilidade ao glúten.

Os sintomas de uma sensibilidade podem incluir :

  • dor abdominal
  • náusea
  • inchaço
  • diarréia
  • constipação
  • dores nas articulações e músculos
  • fadiga crônica
  • uma dor de cabeça
  • Confusão mental
  • depressão

Qualquer pessoa com esses sintomas ou outras preocupações deve receber cuidados profissionais.

Uma revisão de 2018 sugere que a tolerância de uma pessoa ao glúten pode, em parte, ser determinada pela composição de suas bactérias intestinais e fatores genéticos. Os autores também observaram que o consumo de produtos processados sem glúten pode levar à deficiência de nutrientes e a uma dieta muito rica em gorduras trans e sal.

Resumo

Evitar o glúten pode parecer assustador no início. No entanto, muitas lojas e restaurantes agora oferecem opções sem glúten. Além disso, muitos alimentos inteiros são naturalmente sem glúten, o que pode encorajar uma pessoa a cozinhar do zero com mais frequência.

Planejar refeições e verificar com antecedência quando comer fora pode ajudar a prevenir contratempos e escolhas limitadas.

No geral, é importante estar ciente da contaminação cruzada e do glúten em produtos alimentícios e não alimentícios inesperados. Qualquer pessoa com sintomas de intolerância ao glúten deve consultar um nutricionista ou médico.s